Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida

Castelo de Paiva marcada pela tranquilidade e paisagens magníficas

Vila tem origens na nobreza e apenas viu o seu nome definitivo ser atribuído há cerca de cem anos.
Ana Isabel Fonseca 29 de Dezembro de 2017 às 10:00
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Castelo de Paiva
Denominada de Castelo de Paiva há cerca de cem anos, esta é uma vila com um história rica e que tem origens na nobreza. É banhada pelos rio Douro e Paiva e as paisagens são deslumbrantes, de tirar verdadeiramente o fôlego. Para quem procura tranquilidade e fugir da azáfama diária das cidades, certamente que Castelo de Paiva é o lugar ideal para visitar.

O itinerário deve começar precisamente no centro histórico da vila. Trata-se de um local acolhedor, ladeado por edifícios seculares de elevado interesse arquitetónico e cultural, onde se destacam os Paços do Concelho, a Igreja Matriz, o Chafariz e o Edifício da Cadeia. De lá podemos depois partir para o Penedo de Vegide, também conhecido por Pias dos Mouros, no lugar de Curvite.

Tratam-se de duas sepulturas retangulares escavadas num bloco granítico. Executadas durante a Idade Média, as duas sepulturas terão feito parte de um ritual funerário próprio da época, quando de procedia à deposição dos corpos sem qualquer tipo de espólio associado e numa altura em que não existiria um cemitério paroquial.

Importa também conhecer as aldeias de xisto de Midões e Gondarém e que possuem uma beleza muito característica das aldeias serranas. Gondarém é local propício a passeios pedestres e sobressai pelo conjunto de casas construídas em xisto.

Já Midões trata-se de lugar muito agradável, implantado numa encosta com uma paisagem marcada pela vinha. De ambas as aldeias, a vista sobre o Douro é deslumbrante.

E quando se fala de paisagens deslumbrantes, tem que se falar obrigatoriamente no Miradouro Natural do Monte de São Domingos. Do alto dos seus 663 metros é possível apreciar os contrastes marcantes da paisagem situada no coração do Douro. No monte existe ainda uma pequena capela construída em honra de São Domingos e ao seu lado um belo conjunto de sinos, que se ouvem a uma longa distância e dão conta à população do passar das horas.

Antes de deixar a vila, tem ainda que conhecer a ilha dos Amores, que se situa na confluência do rio Douro com o rio Paiva. Em torno da ilha há uma lenda, que conta a história trágica de amor entre um lavrador e uma fidalga.

Hoje, a zona da ilha é um local bastante procurado para a prática de desportos náuticos. 

Gastronomia tem um papel de relevo na região 
A gastronomia tem, sem dúvida, um papel muito importante em Castelo de Paiva.

Pratos como o arroz de lampreia, o sável ou, então, o cabrito assado com arroz no forno são muito apreciados, tal como as rabanadas à moda de Paiva e o pão de ló.
Ver comentários