Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
1

Crato: História e Legado

Uma das vilas mais importantes da era medieval. Foi uma das sedes da Ordem de Malta e berço de D.Nuno.
Joana Penderlico e Pedro Galego 23 de Agosto de 2017 às 23:45
Mosteiro da Flor da Rosa, hoje é uma pousada e um dos ex-líbris da região
No interior do mosteiro há uma exposição sobre a sua fundação
A vila está carregada de pormenores ligados à fé e às tradições militares da ordem de malta
O casario apresenta as cores típicas da tradição alentejana.
 A igreja matriz é uma das mais importantes da vila do Crato
Pelourinho fica no largo do município
Mosteiro da Flor da Rosa, hoje é uma pousada e um dos ex-líbris da região
No interior do mosteiro há uma exposição sobre a sua fundação
A vila está carregada de pormenores ligados à fé e às tradições militares da ordem de malta
O casario apresenta as cores típicas da tradição alentejana.
 A igreja matriz é uma das mais importantes da vila do Crato
Pelourinho fica no largo do município
Mosteiro da Flor da Rosa, hoje é uma pousada e um dos ex-líbris da região
No interior do mosteiro há uma exposição sobre a sua fundação
A vila está carregada de pormenores ligados à fé e às tradições militares da ordem de malta
O casario apresenta as cores típicas da tradição alentejana.
 A igreja matriz é uma das mais importantes da vila do Crato
Pelourinho fica no largo do município
Com uma forte presença histórica, a vila do Crato, no coração do Norte Alentejano, tem nas ruas e nos monumentos, vários locais que o farão sentir-se a viver naquelas épocas. É berço do Santo Condestável e o legado de D. Nuno ainda hoje se faz sentir por aquelas paragens.

Antes da era medieval, há vestígios da presença de povos pré-históricos por este território. Uma vista ao Crato deve contemplar uma passagem pela Anta da Tapada, Anta da Espadaneira, ou pela Anta da Coutada de Barros. Nas ruas da vila encontra o casario branco, pintado por pormenores quinhentistas - como as portas ogivais -, de muralhas antigas e igrejas seculares, como a igreja Matriz , intimamente ligada à Ordem de Malta, que teve no Crato uma das suas sedes.

Se quer um programa mais mexido, pode aproveitar para fazer uma caminhada desde a Fonte Branca até à igreja Matriz de Flor da Rosa. Ao longo deste passeio irá encontrar várias partes da história do Crato. No decorrer do percurso passará pelo Mosteiro de Santa Maria da Flor da Rosa – um ícone da região e onde está sepultado D. Nuno Álvares Pereira –, pela Fonte Branca ou pela Fonte do Álamo. Terá oportunidade de ver ainda o Moinho de Água em ruínas ou a Ponte Romana. No centro da vila é obrigatória a passagem pela praça do município, onde encontra não só os Paços do Concelho, mas também o Pelourinho e a varanda do Prior do Crato.

Se a carteira permitir, não perca na Pousada de Flor da Rosa um bife de vitela com queijo de Nisa, acompanhado por um dos vinhos das herdades da localidade Terras do Crato ou Herdade do Gamito. Mas não faltam soluções mais em conta para aconchegar o estômago, à boa maneira alentejana.

Tire parte do dia para ver o Museu Municipal do Crato e a Casa-Museu Padre Belo, com forte presença de arte sacra e história local. Aproveite ainda para visitar o Castelo do Crato, uma construção medieval onde se destacam as plataformas para artilharia, a porta do fortim e a cisterna no centro do conjunto, estruturas que se mantêm ao longo dos anos.

Para terminar o seu dia e saborear, mais uma vez, a riqueza da gastronomia típica do Alto Alentejo, aconselha-se uma ida até ao restaurante O Lagarteiro, em Gáfete, uma das freguesias do Crato. Vai querer experimentar uma sopa de tomate e saborear um doce típico da região: a Barriga de Freira.
Espadaneira Castelo do Crato Barros Ordem de Malta Santo Condestável Museu Municipal do Crato
Ver comentários