Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida

Passadiços: passeios a perder de vista com a mochila às costas

Estruturas de madeira que se confundem com a paisagem envolvente, os passadiços são hoje um sucesso turístico em portugal.
Duarte Faria 1 de Julho de 2020 às 20:31
Passadiços
Passadiços do Paiva
Passadiços da Ponta da Piedade (Lagos)
Passadiços de Castelo de Paiva
Passadiços do Vale do Lapedo
Passadiços do Alamal
Passadiço Marítimo de Gaia
Passadiços da Cresmina (Guincho, Cascais)
Passadiços da Foz do Arelho
Passadiços de Esmoriz 
Passadiços de Sistelo
Passadiços do Alqueva
Passadiços do Alvor (Portimão)
Passadiços
Passadiços do Paiva
Passadiços da Ponta da Piedade (Lagos)
Passadiços de Castelo de Paiva
Passadiços do Vale do Lapedo
Passadiços do Alamal
Passadiço Marítimo de Gaia
Passadiços da Cresmina (Guincho, Cascais)
Passadiços da Foz do Arelho
Passadiços de Esmoriz 
Passadiços de Sistelo
Passadiços do Alqueva
Passadiços do Alvor (Portimão)
Passadiços
Passadiços do Paiva
Passadiços da Ponta da Piedade (Lagos)
Passadiços de Castelo de Paiva
Passadiços do Vale do Lapedo
Passadiços do Alamal
Passadiço Marítimo de Gaia
Passadiços da Cresmina (Guincho, Cascais)
Passadiços da Foz do Arelho
Passadiços de Esmoriz 
Passadiços de Sistelo
Passadiços do Alqueva
Passadiços do Alvor (Portimão)
De norte a sul do País, os passadiços estão na moda. Oportunidade para mergulhar na natureza, seja no Interior, entre ribeiras, cascatas e praias fluviais, ou no Litoral, com os olhos no mar, e as ondas ali bem perto, a oferta deste tipo de equipamentos (nos quais os municípios, sobretudo estes, têm feito avultados investimentos) cresceu exponencialmente nos últimos anos, muito por conta do sucesso alcançado pelos passadiços do Paiva, na região de Arouca, que atraem anualmente milhares de visitantes aventureiros e conquista vários prémios internacionais.

A próxima sensação
A serra da Lousã não quis ficar de fora desta moda e prepara-se para abrir, ao que tudo indica já em julho, um novo passadiço na Ribeira de Quelhas. Os habitantes da aldeia de Coentral Grande, Castanheira de Pera, esperam que esta construção possa trazer turistas para a região, ajudar à dinamização da economia local e evitar o êxodo rural e o despovoamento da região.

O Passadiço da Ribeira das Quelhas acompanha a margem direita da ribeira, e tem uma extensão de 1200 metros, de constante subida. Com um escopo inclusivo, estes passadiços permitem aos visitantes viajar entre fragas de xisto e de granito, refúgio de espécies protegidas, enquanto visita várias quedas de água e pequenas lagoas. Está prevista a construção de algumas estruturas de apoio, como um café-bar. O investimento total é de cerca de 400 mil euros.

Passadiços do Paiva (Arouca)
São os mais conhecidos passadiços em Portugal. O percurso liga as praias fluviais do Areinho e de Espiunca e tem cerca de 8,7 quilómetros de extensão. A construção de madeira acompanha o rio Paiva, no distrito de Aveiro. As descidas e subidas acentuadas elevam o grau de dificuldade deste percurso de cerca de 2h30. Em breve, vão incluir a maior ponte pedonal suspensa do Mundo. O bilhete online que custa 2 €. No local, 4 €.

Passadiços da Ponta da Piedade (Lagos)
A Ponta da Piedade representa o mais emblemático ex-líbris de Lagos e um dos mais notáveis do Algarve. Boa parte da sua beleza natural e paisagística pode ser apreciada caminhando ao longo dos passadiços ali construídos. Estes são parte do Trilho dos Pescadores, composto por 13 etapas, num total de 226,5 quilómetros, que é, provavelmente, um dos melhores trilhos costeiros do Mundo. Uma magnífica oportunidade para quem gosta de caminhadas com vistas de tirar o fôlego.

Passadiços de Castelo de Paiva
Na margem do rio Douro, em Pedorido, Castelo de Paiva, está a ser construído o percurso ‘Viver o Douro’, com cerca de 13,7 quilómetros lineares sempre junto à margem, com alguns miradouros em forma de casco de barco. Começar na praia fluvial local, sempre muito concorrida em dias de calor, junto ao parque de lazer do Choupal, cujas sombras são um ótimo local para apreciar a foz do rio Arda no Douro. A companhia dos barcos de cruzeiro do alto Douro vinhateiro, que sobem e descem o rio, é frequente.

Passadiços do Vale do Lapedo
Este pequeno e bonito percurso decorre por caminhos florestais, caminho de pé posto e algum asfalto, tendo como pontos de interesse o Vale do Lapedo, em Santa Eufémia, Leiria (onde foi descoberto em 1998 o esqueleto de uma criança com cerca de 24 500 anos). O percurso é fácil, ideal para percorrer e desfrutar em família.

Passadiços do Alamal
O concelho de Gavião, no distrito de Portalegre, guarda um dos maiores tesouros do interior de Portugal: o Passadiço do Alamal, um dos percursos pedestres mais encantadores que se podem fazer ao longo das margens do Tejo. O percurso tem início na praia fluvial do Alamal e termina junto à ponte de Belver. São cerca de 2 quilómetros.

Passadiço Marítimo de Gaia
Se quer apreciar o rio Douro em paz, mas perto da cidade, o Passadiço da Marginal de Gaia é uma excelente opção. Estende-se da marginal sob a ponte do Infante até ao cais de Quebrantões, ligando-se ao passeio/ciclovia no vale de Oliveira do Douro, em Vila Nova de Gaia. É uma boa escolha também para fazer exercício físico.

Passadiços da Cresmina (Guincho, Cascais)
Estes passadiços na zona de Cascais, construídos em 2011, são uma excelente opção para observar as Dunas da Cresmina, situadas a norte da praia do Guincho e inseridas no Parque Natural Sintra-Cascais. Permitem ver de perto espécies vegetais únicas e raras na natureza, com a serra de Sintra e o cabo da Roca no horizonte. O percurso contempla ainda placas informativas que explicam a fauna e a flora da região. Com uma extensão de apenas 2 quilómetros, estão edificados sobre uma grande parte desta maravilhosa duna que possui 66 hectares.

Passadiços da Foz do Arelho
Construídos nas arribas da Foz do Arelho, nas Caldas da Rainha, têm a localização perfeita para contemplar o oceano Atlântico (e, num dia de céu limpo, o arquipélago das Berlengas). O percurso começa no miradouro da Foz do Arelho e segue em direção às Quebradas das Pedras da Aberta. Albergam sete miradouros.

Passadiços da Foz do Arelho
Construídos nas arribas da Foz do Arelho, nas Caldas da Rainha, têm a localização perfeita para contemplar o oceano Atlântico (e, num dia de céu limpo, o arquipélago das Berlengas). O percurso começa no miradouro da Foz do Arelho e segue em direção às Quebradas das Pedras da Aberta. Albergam sete miradouros.

Passadiços de Esmoriz 
Ligam a Barrinha de Esmoriz à Lagoa de Paramos e são o lugar ideal para apreciar esta área protegida de 400 hectares. Com as dunas e o mar no horizonte, permitem observar as mais de 100 espécies de aves que aqui nidificam, entre as quais a garça-vermelha.

Passadiços de Sistelo
O percurso começa na aldeia de Sistelo, conhecida como o Tibete Português, pelos socalcos da paisagem, e conduz-nos até às margens do rio Vez. A viagem começa com uma descida acentuada numa calçada antiga. Depois, são 2 quilómetros envolvidos pelo verde minhoto numa harmonia perfeita com a natureza.

Passadiços do Alqueva
O passadiço da Barragem do Alqueva fica junto à praia fluvial de Mourão, no distrito de Évora, a maior praia fluvial da região. Parte integrante da praia é o parque de merendas, já ali construído anteriormente. A ligação entre ambas as infraestruturas é feita por um passadiço de madeira que abrilhanta ainda mais o local e permite apreciar a natureza em todo o seu esplendor.

Passadiços do Alvor (Portimão)
São seis quilómetros de extensão, construídos sobre as dunas, que unem as praias dos Três Irmãos à ria de Alvor. Além de proporcionar um passeio muito agradável, com direito a contemplar toda a paisagem da região e o extenso areal que o passadiço abarca, serve também como acesso a várias praias. Desde 2016, são os maiores passadiços do Algarve.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)