Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
9

Soure, entre os rios e a serra

Há tranquilidade e história num concelho que é marcado pela serra de Sicó e passagem dos rios.
Gonçalo Silva 9 de Outubro de 2018 às 19:31
Da capela da Senhora da Estrela é possível observar parte da serra de Sicó
As ruas da localidade ficam coloridas em dias das festas da vila
Pelourinho de Vila Nova de Anços é um dos atrativos locais a visitar
Rios atravessam a vila formando um espelho de água
É possível observar parte do castelo de Soure
Igreja matriz de S. Tiago é um dos pontos de interesse na visita ao concelho
Da capela da Senhora da Estrela é possível observar parte da serra de Sicó
As ruas da localidade ficam coloridas em dias das festas da vila
Pelourinho de Vila Nova de Anços é um dos atrativos locais a visitar
Rios atravessam a vila formando um espelho de água
É possível observar parte do castelo de Soure
Igreja matriz de S. Tiago é um dos pontos de interesse na visita ao concelho
Da capela da Senhora da Estrela é possível observar parte da serra de Sicó
As ruas da localidade ficam coloridas em dias das festas da vila
Pelourinho de Vila Nova de Anços é um dos atrativos locais a visitar
Rios atravessam a vila formando um espelho de água
É possível observar parte do castelo de Soure
Igreja matriz de S. Tiago é um dos pontos de interesse na visita ao concelho
No centro do país, junto à Serra de Sicó e local de passagem dos rios Anços, Arunca, Pranto e Mondego, o concelho de Soure mostra as suas riquezas. Na Idade Média, mais concretamente no período da Reconquista Cristã, Soure assumiu um papel estratégico. O seu castelo integrava a linha defensiva de Coimbra.

Atualmente é possível observar o que foi a infraestrutura, que conta com uma particularidade: contrariamente ao que é costume observar nos castelos medievais, o de Soure foi erguido numa zona plana. Justifica-se por ser o local onde confluem os rios Anços e Arunca e à necessidade de controlo da região. No Museu Municipal, junto ao castelo, é possível observar alguns vestígios arqueológicos que ilustram a evolução histórica de todo o concelho.

Na vila há muitas ruas e recantos que, numa caminhada, valem a pena explorar. A Igreja Matriz de S. Tiago, que remonta ao século XV, é um monumento a apreciar. O passeio pode continuar pelo Parque da Várzea, onde é possível observar os rios que atravessam a localidade. Já junto à câmara municipal é possível conhecer o Jardim Municipal de Soure e o edifício dos Paços do Concelho, cuja construção remonta a 1900.

Saindo da zona da vila há 12 freguesias a explorar. Três ficam localizadas na zona serrana de Sicó e as restantes formam a parte do concelho que é mais plana e marcada pelos rios.

A Capela da Senhora da Estrela, na freguesia de Degracias, fica cravada nas rochas da serra, virada para a localidade de Poios, e merece uma visita. Caminhadas e observação da fauna e flora são atividades que podem ser realizadas pelo visitante pela zona.

Com a serra e os rios na proximidade é possível degustar algumas iguarias locais, como o cabrito da serra de Sicó e o queijo ou peixes do rio, na parte norte do concelho, junto ao Mondego e a Montemor-o-Velho.

Na serra de Sicó, onde em tempos foi a Aldeia de Cima, as ruínas voltaram a ganhar vida com a construção do projeto Villa Pedra. São treze casas de turismo rural que dão vida a uma zona que há mais de 70 anos tinha perdido os seus habitantes.

Depois de recuperadas as casas, chegam hoje ali turistas de várias zonas do País e também do estrangeiro, que aproveitam a tranquilidade da serra e do concelho.

Altar do Diabo é atração na freguesia de Samuel
A Igreja Matriz de Samuel tem representado, num dos altares, a figura do Diabo. Uma representação invulgar do Arcanjo S. Miguel a espetar uma lança no peito de Satanás. Junto à imagem há cigarros, uma tradição oferecida por quem ali passa.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)