Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
7

Um passeio à descoberta das mais belas cascatas

Para quem gosta de um passeio diferente ou apenas procura um destino de repouso.
Ruben Henriques 19 de Setembro de 2018 às 15:19
Fraga da Pena
Salto do Prego
Fisgas do Ermelo
Tahiti
Pulo do Lobo
Cascata do Arado
Levada das 25 Fontes
Fraga da Pena
Salto do Prego
Fisgas do Ermelo
Tahiti
Pulo do Lobo
Cascata do Arado
Levada das 25 Fontes
Fraga da Pena
Salto do Prego
Fisgas do Ermelo
Tahiti
Pulo do Lobo
Cascata do Arado
Levada das 25 Fontes
Passeios pela Natureza são a oferta principal de diversos operadores turísticos. Posto isto, há que compreender por que é que o público deseja tanto este tipo de roteiro. A resposta é simples: criar uma ligação com a natureza e libertar o stress diário.

As possibilidades de passeios e caminhadas são variadas e, por isso, há que diversificar um pouco. Esse é o motivo pelo qual muitos optam por visitar cascatas. Aquelas que a ‘Sexta’ selecionou são antecedidas por uma valente caminhada, até porque, por norma, não são de fácil acesso. Portanto, este é um ótimo programa para fazer em família ou com amigos e, quem sabe, uma oportunidade para se fazer um piquenique ao mesmo tempo que se conhece toda a zona envolvente.

Não é por acaso que se diz que beber um copo de água ajuda a acalmar. Assim, o movimento da água ao cair das rochas para uma lagoa pode, efetivamente, ser tranquilizador. É o elemento mais puro da natureza. Deste modo, nada melhor do que tirar um dia para se aventurar à descoberta daquilo que o planeta Terra tem para lhe oferecer. Nestas páginas encontra algumas das cascatas mais icónicas de Portugal, recomendadas para uma visita retemperadora.

Descubra e divirta-se.

Fraga da Pena
Uma paisagem que vale mesmo a pena
junto à aldeia de Pardieiros, em Arganil, distrito de Coimbra, bem na serra do Açor, fica a cascata Fraga da Pena. Sabe-se que toda a paisagem da zona teve origem num acidente geológico e, assim, nasceu a cascata e a lagoa que é tão visitada e apreciada. Quem a já visitou explica que, dependendo do caudal, pode ser mais ou menos fantástica, mas só pela envolvência natural vale a pena uma aventura pela serra. Também é de salientar que os acessos são muito bons, já que o local foi renovado e aplicaram-se corrimões para que os visitantes não tenham dificuldades em aceder ao local. É uma ótima proposta para um dia de descanso em total sintonia com o verde e a tranquilidade da natureza. 

Salto do Prego
Com direito a banho e a um piquenique 
A cascata do Salto do Prego fica no Faial da terra, uma pequena freguesia no concelho de Povoação, na ilha de São Miguel. Se os Açores já são conhecidos pelas suas paisagens verdes, então a caminhada para chegar ao Salto do Prego também não é exceção. O percurso inicia-se numa estrada íngreme, que leva a uma zona de habitação no meio da natureza. Durante vários anos este local esteve ao abandono mas, agora, já é possível apreciar todas as recuperações que foram feitas. Daqui para a frente entra-se na floresta na companhia de uma pequena ribeira. Assim que se chega à cascata, o ideal é dar um mergulho nas águas cristalinas da lagoa. Contam os fazedores de roteiros turísticos que este é o ritual. Depois do banho segue-se um piquenique em sintonia com a natureza. Para terminar, os turistas ou os locais gostam de lanchar pela zona em perfeito convívio.

Fisgas de Ermelo
Tranquilidade
A queda de água está localizada junto à união de freguesias de Ermelo e Pardelhas, concelho de Mondim de Basto, distrito de Vila Real. Considerada uma das maiores de Portugal, a Cascata Fisgas de Ermelo é diferente de muitas outras não só pelo tamanho, mas também pela forma como a água se movimento. A queda da água não acontece em vertical, mas sim através do deslizamento por diversas rochas que constituem toda a construção geológica. Assim sendo, o local considera-se muito tranquilo e perfeito para pensar e relaxar enquanto se ouve a água a escorregar lentamente. Também ao contrário de outros pontos do País, a Cascata Fisgas de Ermelo não dá origem a uma só lagoa, mas sim a várias mais pequenas que servem de refúgio para diversas espécies e que podem ser observadas ao longe.

Tahiti
Justifica o esforço
Tahiti é o nome popular que se dá à cascata fecha de barjas, em Vilar da Veiga, no Gerês. A localização é íngreme e de difícil acesso, por isso tem de estacionar a viatura num ponto de segurança e pôr pés a caminho. Quem conhece bem a zona recomenda sempre que se desça pelo lado direito da ponte. A partir daí já são visíveis várias pequenas lagoas onde se pode refrescar e aproveitar para descansar da caminhada. Podiam ser imagens de um filme, mas é mesmo a natureza no seu melhor. Um tronco separa duas margens e deve atravessá-lo para conseguir chegar à vista mais bonita da cascata. Por fim, é só aproveitar a paisagem, puxar pela toalha de piquenique e desfrutar de momentos de sossego em perfeita comunhão com o sempre fascinante Gerês. O regresso é feito pelo mesmo caminho; mais um saboroso cansaço.

Polo do Lobo
Aventura e Beleza
Formada pelas águas do Rio Guadiana, a Cascata do Pulo do Lobo situa-se a montante da cidade de Mértola, distrito de Beja. De uma altura de cerca de quatro metros, as águas cristalinas precipitam-se num mar de espuma que dá lugar a um tranquilo lago. O Pulo do Lobo não é de difícil acesso, porém é necessário percorrer largos quilómetros para se poder desfrutar da beleza inigualável desta localização bem no centro da natureza. Quem o visitou fala num local de pureza onde se podem observar várias espécies no seu habitat natural. Outros referem que, realmente, esta é uma cascata distante mas que vale o esforço e a aventura para se poder desfrutar de uma paisagem diferente daquelas a que se tem um acesso rápido. José Saramago escreveu que este é o ponto mais dramático do rio, no entanto sublime.

Cascata do Arado
Uma visita que cativa
Em pleno coração do parque nacional da peneda-gerês, a cascata do Arado é uma das maiores e mais famosas na zona. O acesso é feito por uma estrada florestal, de areia, rodeada de vegetação. Só os aventureiros, mas cuidadosos, descem para a zona da lagoa. O local mais comum e seguro para se ficar é junto ao miradouro, de onde se pode observar o enorme parque. A queda de água é surpreendente e, durante alguns meses, pode ficar escondida devido à vegetação abundante. Os meses de verão também não são os melhores para fazer este passeio, pelo que a água tende a ser menos devido à falta de chuva. Se tiver possibilidade, banhe-se na água fresca e cristalina do rio que tanta gente atrai ao parque. A tranquilidade é garantida e pode aproveitar para levar as crianças numa visita completa ao famoso parque.

Levada das 25 fontes
Verdadeiro paraíso na ilha da Madeira
A água cai do alto de 30 metros e desce pelas rochas revestidas de plantas até à lagoa envolta pelo verde da natureza. Para chegar à Cascata das 25 Fontes há que fazer o percurso da levada homónima. A poucos quilómetros de Porto Moniz, Madeira, este é um dos principais pontos de interesse para os turistas e até para os madeirenses. Um trilho de 4,6 quilómetros que, afirmam os aventureiros, pode durar até três horas de caminhada. Ao longo do percurso é possível ouvir a música de fundo da natureza que caracteriza o local como um dos mais belos de todo o arquipélago. Ao contrário de outras cascatas que têm o caminho dificultado ou não têm acesso rápido, a das 25 Fontes é preferida pelos utilizadores devido à levada. Sendo que, quando se chega ao final do percurso, é habitual descansar pela zona do lago e até aproveitar para desfrutar de uma refeição rápida.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)