Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
7

Alvarinho polivalente serve como aperitivo e acompanha pratos elaborados

A qualidade dos vinhos Verdes subiu imenso.
Edgardo Pacheco 20 de Julho de 2019 às 16:00
Alvarinho João Portugal Ramos
Alvarinho João Portugal Ramos FOTO: Direitos Reservados
Há Alvarinhos que exploram mais as notas dos frutos tropicais cítricos e outros que procuram o registo da mineralidade. Coisas que dependem do terroir onde nascem e da filosofia do produtor.

Depois, há aqueles procuram misturar os dois perfis. É o caso deste Alvarinho João Portugal Ramos, porque aqui sentimos sempre umas notas alimonadas com certa mineralidade, volume de boa mas sempre com frescura.

João Portugal Ramos foi um dos primeiros produtores do Sul do País a interessar-se pelos vinhos da região dos vinhos verdes. De facto, se noutros tempos ficava muito bem a um grande produtor nacional ter um vinho do Douro no seu portfólio, hoje é o Minho que atrai investimento.

E por várias razões. Primeiro, há uma melhoria tremenda da viticultura na região e, segundo, os consumidores estão desejosos de vinhos de regiões mais frescas. Vinhos que, à mesa, são capazes de combinar com as mais variadas comidas.

E não procuram só a casta Alvarinho. Aliás, estamos convencidos, por aquilo que temos provado nas adegas, que o Avesso e, acima de tudo, o Loureiro, vão dar muito que falar num curto prazo. 
Ver comentários