Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
8

"Um Plano do Labirinto" traz memórias de África e da Guerra Colonial

João Lagarto é o protagonista da peça que vai estar em cena no São Luiz Teatro Municipal, a partir de 23 de janeiro.
Hugo Alves 20 de Janeiro de 2020 às 17:00
'Um Plano do Labirinto'
'Um Plano do Labirinto'
'Um Plano do Labirinto'
'Um Plano do Labirinto'
'Um Plano do Labirinto'
'Um Plano do Labirinto'
'Um Plano do Labirinto'
'Um Plano do Labirinto'
'Um Plano do Labirinto'
Em cena no Teatro Carlos Alberto, no Porto, até domingo, dia 19, ‘Um Plano no Labirinto’ é a mais recente encenação de João Garcia Miguel.

Escrita por Francisco Luís Parreira, a peça junta a irreverência do encenador às palavras do conceituado dramaturgo numa produção que leva o público numa viagem pelo passado português, refletindo, em especial, sobre a Guerra do Ultramar e o que foi a viagem dos seus protagonistas.

"Mas não só. É um passeio por África", conta João Lagarto, um dos protagonistas do espetáculo, ao lado de Sara Ribeiro e Paulo Mota. "A peça não conta, de facto, uma história de forma tradicional. Fala de assuntos vários, mas todos ligados à experiência que o Francisco viveu em África. É uma peça diferente, de libertação, cheia de analogias", acrescenta João Lagarto.

A peça, uma produção do Teatro Nacional São João, tem permitido ao ator ligar-se a África, num percurso que tem trilhado nos últimos anos. "Estive em Moçambique. Não sou fã, mas ficou uma ligação que não sei traduzir. Contudo, ao contrário das personagens deste espetáculo, não estive no Ultramar, nem na guerra de que fala a peça. Tinha 20 anos em 1975 e, por isso, nesse ano, deram-nos uma benesse. Lembro-me de que nem fiz a tropa", recorda João Lagarto com satisfação.

Lisboa é o próximo destino
Depois da passagem pela cidade Invicta, ‘Um Plano no Labirinto’ ruma até Lisboa, onde estará em cena no São Luiz Teatro Municipal, entre 23 deste mês e 2 de fevereiro. "E talvez consigamos ir a outros locais do País para fazer vários espetáculos. Vamos ver o que se consegue fazer...", revela João Lagarto. A peça, em cena de quarta-feira a domingo, só pode ser vista por maiores de 12 anos. O preço dos bilhetes é de 10 euros.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)