Barra Cofina

Correio da Manhã

C Studio
6
C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Dia Mundial da Alimentação: uma data para celebrarmos e (re)pensarmos os nossos hábitos alimentares

Uma alimentação saudável, sustentável, disponível e acessível para todos serve de mote para assinalar o Dia Mundial da Alimentação 2020, que se celebra a 16 de outubro.
15 de Outubro de 2020 às 12:18

O histórico desta data remonta a 1945, quando a ONU criou a FAO – Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, e que, desde 1979, se comemora com inúmeras iniciativas mundiais de consciencialização e promoção de uma alimentação saudável e sustentável, acessível a todos.

Nesta data, celebra-se a diversidade das dietas alimentares equilibradas e sustentáveis, com especial destaque para a Dieta Mediterrânica, um modo de alimentação que é associado a uma melhor qualidade de vida, sendo também uma cultura e uma tradição milenar partilhadas por um Mediterrâneo comum que inspira os povos à sua volta.


Património da Humanidade

Há centenas de anos, os hábitos alimentares do homem do Mediterrâneo eram ditados pelos ciclos da natureza. Para garantir a subsistência, criaram saberes baseados na exploração dos recursos locais – agricultura, pesca e pecuária –, técnicas de conservação e de preparação dos alimentos. O desafio da escassez foi superado com criatividade e diversidade, fazendo-se acompanhar por hábitos culturais de convívio à refeição.

E assim nos foi passado um modo de comer, de viver e de estar mediterrânico que viria a ser reconhecido como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO em 2013. Um património que foi transmitido ao longo dos tempos e que deve ser preservado pelas novas gerações. Um património em evolução e cuja riqueza estará sempre nas origens, e que o Pingo Doce defende, enquanto padrão alimentar equilibrado e que promove o convívio à mesa.


Os 10 princípios da Dieta Mediterrânica

Mais do que um padrão alimentar típico dos países do Sul da Europa, a Dieta Mediterrânica é um estilo de vida. Com arte própria na confeção dos alimentos, também assenta na alegria à mesa, exercício físico, sol e descanso. São estes os “ingredientes” para um estilo de vida equilibrado. Considerada um dos padrões alimentares mais saudáveis do mundo, a Dieta Mediterrânica assenta em princípios simples, que trazem benefícios comprovados à saúde:




  1. Receitas simples, que protegem os nutrientes (cozidos, sopas, ensopados);
  2. Elevado consumo de produtos vegetais;
  3. Preferência por produtos locais e da época;
  4. Azeite como principal fonte de gordura;
  5. Consumo moderado de laticínios;
  6. Uso de ervas aromáticas para temperar, reduzindo o uso de sal ao mínimo;
  7. Consumo frequente de peixe e baixo de carnes vermelhas;
  8. Vinho tinto às refeições principais e de forma moderada;
  9. Água como principal bebida ao longo do dia;
  10. Convívio à volta da mesa e atividade física regular.



A Dieta Mediterrânica

Saber os alimentos que deve privilegiar e os que deve evitar é um exercício diário que exige conhecimento. A Dieta Mediterrânica vai ajudá-lo a fazer as melhores escolhas e as nossas receitas vão inspirá-lo a concretizá-las.




Todas as refeições: fruta, hortícolas, azeite, cereais integrais (pão, massa, arroz, cuscuz, quinoa), água e infusões

Os "pratos do dia" não precisam de ser sempre "mais do mesmo". A variedade dos legumes e dos cereais permite-nos dar asas à imaginação e criar receitas diferentes na cor, na textura e no sabor. A paella de legumes e o risotto de couve-portuguesa com abóbora trazem inovação para a mesa.



Diariamente: laticínios, especiarias, ervas aromáticas, alho, cebola, azeitonas, frutos secos e sementes

Os laticínios podem estar presentes na nossa alimentação das mais diversas formas, e o queijo é uma delas. Jantar pronto em 30 minutos com as conchas recheadas com abóbora ou a frittata de pimentos e queijo.






Semanalmente: carnes brancas, peixe, ovos e leguminosas

Há pratos bem portugueses que harmonizam sabores intensos e texturas suaves. O polvo com migas de couve-portuguesa ou o bacalhau no pão levam o seu tempo a preparar, mas o resultado compensa a cada garfada.

Outras receitas são mais surpreendentes, admirando pela apresentação, rapidez e facilidade de confeção. Não deixe de provar as curgetes recheadas com húmus ou o arroz de pato com juliana de legumes.



Com moderação: carnes vermelhas e batatas

Segundo a Dieta Mediterrânica, a carne vermelha deve ser consumida com moderação. Assim, quando o fizer, opte por receitas que regalam o corpo e a alma, como esta de costeletas de borrego com cuscuz de espargos verdes. Uma receita ideal para partilhar num almoço convivial e vagaroso de fim de semana.




Doces: Só em dias especiais

Os bolos, as guloseimas, as bebidas açucaradas e o açúcar simples devem ser deixados apenas para ocasiões especiais e dias de festa, devendo ser consumidos em quantidades pequenas e não mais do que duas vezes por semana.





Porque esta dieta merece ser mais divulgada, compreendida e acarinhada pelos portugueses, não perca a conferência sobre a Dieta Mediterrânica à Portuguesa em https://www.dietamediterranicaaportuguesa.pt/