Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
7
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

CML e Santa Casa apoiam ao domicílio

A autarquia, a SCML e centros paroquiais, vão garantir refeições quentes, cuidados de higiene e medicamentos aos idosos com dificuldades de mobilidade.
19 de Março de 2020 às 18:02

A Câmara Municipal de Lisboa (CML), em colaboração com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), as juntas de freguesia e centros paroquiais, vai alargar o apoio domiciliário aos idosos, garantindo-lhes refeições quentes, cuidados de higiene e medicamentos, e instalar um novo centro de acolhimento no pavilhão do Casal Vistoso para receber pessoas em situação de sem-abrigo.

A autarquia, em conjunto com a SCML, as juntas de freguesia e centros paroquiais, vai garantir refeições quentes, cuidados de higiene e medicamentos "a todos os idosos com dificuldades de mobilidade e autonomia pessoal", anunciou o presidente da CML, Fernando Medina.

A decisão junta-se a outras medidas tomadas pela SCML na sequência das orientações do Governo e tendo em atenção o estado de alerta em todo o País.

O conjunto de medidas tem como pressuposto essencial que a prioridade, nesta fase difícil para todos, é a manutenção de todas as funções críticas e essenciais da SCML, mas também a salvaguarda da segurança dos seus utentes, colaboradores e respetivas famílias.

Por isso, foi decidido o encerramento dos serviços que implicam o contacto com o público e que não são essenciais no momento presente. Nos casos em que o encerramento não é possível, foi decidido reduzir o atendimento ao público ao nível de resposta mínima e essencial, privilegiando-se a marcação prévia sempre que possível.

Em consonância com as medidas decretadas pelo Governo, a SCML decretou também o encerramento dos seus serviços de resposta a crianças e jovens, com exceção das crianças e jovens em risco com medida de promoção e proteção (lares).

Nos estabelecimentos destinados a apoiar a população sénior, estão por agora suspensas as visitas aos lares de idosos e às unidades de Cuidados Continuados, sem exceção, com o intuito de proteger os mais velhos e mais suscetíveis de contrair complicações graves em virtude do contágio pela doença Covid-19. Foram também encerrados os centros de dia da SCML, assegurando-se, em casos de reconhecida necessidade, manutenção da resposta através de apoio domiciliário aos utentes. 

No que diz respeito às áreas de formação e prestação de cuidados de saúde, será feita a desmarcação, sempre que possível, de atendimentos a utentes agendados (com posterior remarcação), privilegiando-se neste contexto o atendimento telefónico. Nas unidades hospitalares da Santa Casa, foram adiados atos médicos, cirurgias e sessões de fisioterapia que não sejam consideradas urgentes, procedendo-se à remarcação logo que possível.

À semelhança do que tem vindo a acontecer um pouco por todo o País, os vários espaços culturais da Santa Casa na cidade de Lisboa suspenderam todas as atividades culturais anteriormente agendadas. O Museu de São Roque e a sala de leitura da biblioteca fecharam, inevitavelmente, as suas portas ao público. Foi ainda decido o encerramento temporário e sem data de reabertura da Casa do Impacto.

Todavia, está previsto reforço do ‘contact center’, para que nenhum utente ou colaborador fique sem resposta.

 

Hospital Sant’Ana cede ventiladores ao SNS

Mais um nunca será demais. E a Santa Casa sabe que os ventiladores são neste momento uma ajuda preciosa para salvar vidas. Por isso, cedeu seis máquinas ao Serviço Nacional de Saúde.

Fazendo face à necessidade de apoiar urgentemente o Serviço Nacional de Saúde (SNS) na luta contra o alastramento da Covid-19 e no tratamento aos doentes em situação crítica, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa decidiu disponibilizar seis ventiladores do Hospital Ortopédico de Sant’Ana, na Parede, ao SNS.

Destes, três são equipamentos novos e prontos a usar nas situações de emergência que infelizmente já estão a acontecer nos hospitais de norte a sul do País. Os outros três são usados, por isso, antes de serem cedidos, necessitam de uma manutenção que será assegurada o mais rapidamente possível também pela Santa Casa.

O Hospital de Sant’Ana, historicamente vocacionado para as áreas do tratamento de doenças reumatológicas e ósseas, muitas delas altamente complexas, é uma das sete unidades de saúde que a Santa Casa tem espalhadas em toda a cidade para prestar cuidados à população mais carenciada, quer na vertente preventiva, quer na vertente curativa e de reabilitação.

Ao disponibilizar estes meios, cuja importância é crucial nas unidades de referência que estão neste momento a prestar cuidados imediatos aos doentes, a Santa Casa concretiza os seus valores e missão e associa-se ao esforço nacional que tem de ser feito para evitar o mais possível a perda de vidas humanas para a pandemia que assola o Mundo.