Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
8
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Visitas dos familiares aos lares regressam segunda-feira

A interdição aos visitantes foi uma das medidas mais duras do confinamento imposto pela pandemia de Covid-19, mas está prestes a ter fim.
14 de Maio de 2020 às 11:09
As visitas externas terão de ser realizadas com hora previamente marcada e com tempo limitado, não devendo exceder 90 minutos
As visitas externas terão de ser realizadas com hora previamente marcada e com tempo limitado, não devendo exceder 90 minutos

As visitas às estruturas residenciais para idosos e unidades de cuidados continuados integrados podem ser retomadas já a partir da próxima segunda-feira, dia 18, segundo as orientações da Direção-Geral da Saúde (DGS). Todavia, as visitas terão obedecer a novas regras para minimizar o perigo de contágio entre os mais velhos e frágeis.

Por isso, a partir de agora as visitas externas terão de ser realizadas com hora previamente marcada e com tempo limitado, não devendo exceder 90 minutos.

É necessário respeitar um número máximo de visitantes por dia e por utente, sendo que este é, numa primeira fase, de um visitante por utente, uma vez por semana.

A DGS esclareceu ainda que os visitantes devem respeitar o distanciamento físico face aos utentes (dois metros), a etiqueta respiratória (obrigatório tossir ou espirrar para um lenço ou em direção ao cotovelo) e a higienização das mãos.

Os visitantes são também obrigados a utilizar máscara, preferencialmente cirúrgica, durante todo o período de permanência no interior da instituição.

Continua a ser proibido levar objetos pessoais para os residentes dos lares, bem como géneros alimentares ou outros produtos, nomeadamente de higiene.

As instituições que acolhem a população sénior devem acautelar que, no momento da primeira visita pós confinamento, os seus profissionais informam devidamente os familiares e outros visitantes sobre comportamentos a adotar, de forma a reduzir os riscos inerentes à situação.

Está também obrigada a garantir que a visita decorra em espaço próprio, amplo e com condições de arejamento, de preferência num espaço exterior, como um jardim. A orientação prevê ainda que sejam disponibilizados aos visitantes produtos para higienização das mãos, antes e após o período de visitas.

"Grande maioria tem condições de retomar"

Além das medidas, Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, anunciou esta semana que "a grande maioria dos lares" estará em condições de retomar as visitas, mas admitiu que existem "situações particulares" que, sendo avaliadas pelas autoridades de saúde locais, poderão ser "diferidas para uma outra data" futura.

Por isso, as orientações divulgadas esta semana pela Direção-Geral de Saúde para a reabertura das portas dos lares e estruturas residenciais à comunidade contemplam igualmente situações de utentes com maior debilidade ou limitação física, como é o caso dos doentes acamados.

Só mesmo estes últimos poderão receber a partir de agora visitas no interior dos seus quatros, quando não existir outra possibilidade. Todavia, no caso de quartos partilhados, as instituições terão de criar condições para que haja uma separação física entre os espaços.