Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
4

Casa Real de Espanha respeita independência da justiça

Juiz considera que a infanta colaborou com o seu marido Iñaki Urdangarin em dois crimes fiscais.
Lusa 22 de Dezembro de 2014 às 12:12
Além do casal, 15 outras pessoas são julgadas no âmbito do caso.
Além do casal, 15 outras pessoas são julgadas no âmbito do caso. FOTO: Albert Gea/Reuters

A Casa Real de Espanha declarou esta segunda-feira o "seu respeito absoluto pela independência da justiça", depois da decisão de um juiz levar a tribunal a irmã do rei Felipe VI, a infanta Cristina, por cumplicidade em fraude fiscal.


Jose Castro, o juiz do tribunal de Palma de Maiorca, nas ilhas Baleares, encarregado do processo, considera, na sua ordem divulgada hoje, que a infanta colaborou com o seu marido Iñaki Urdangarin em dois crimes fiscais. Além do casal, 15 outras pessoas são julgadas no âmbito do caso.


A Casa Real já tinha assegurado antes respeitar as decisões judiciais no quadro deste inquérito, que durou quatro anos, por exemplo quando o juiz confirmou em fevereiro a acusação da infanta e do seu marido.

O rei Felipe VI subiu ao trono em junho e a sua irmã Cristina foi a grande ausente da cerimónia de entronização. A infanta também já não participa em qualquer ato oficial relacionado com a família real, composta pelo rei, pela rainha e pelas suas duas filhas.


Segundo a imprensa espanhola, o rei terá tentado convencer a irmã para renunciar aos seus direitos dinásticos, dado que em teoria ela pode ainda reivindicar o trono, aparecendo em sexto lugar na ordem de sucessão monárquica.

Casa Real de Espanha infanta Cristina justiça crimes fiscais
Ver comentários