Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto

Supremo espanhol recusa reativar mandado de detenção para Puigdemont

Ex-Presidente do Governo da Catalunha viajou de Bruxelas para a Dinamarca.
Lusa 22 de Janeiro de 2018 às 08:06
Carles Puigdemont reitera desafio à lei e à Constituição de Espanha
Carles Puigdemont
Puigdemont
Carles Puigdemont reitera desafio à lei e à Constituição de Espanha
Carles Puigdemont
Puigdemont
Carles Puigdemont reitera desafio à lei e à Constituição de Espanha
Carles Puigdemont
Puigdemont

O ex-presidente da Catalunha Carles Puigdemont chegou esta segunda-feira ao aeroporto da capital da Dinamarca num voo proveniente de Bruxelas para participar num debate na Universidade de Copenhaga. O Ministério Público de Espanha aproveitou a "oportunidade" para pedir a reativação do mandado internacional de captura, mas o juíz do Supremo que apreciou o pedido recusou essa hipótese.

A imprensa espanhola chegou a divulgar que a Justiça tinha pedido à Dinamarca para ativar a ordem de detenção europeia contra o ex-presidente da Generalitat, Carles Puigdemont, que chegou esta segunda-feira à Dinamarca para participar numa conferência.

De acordo com fontes da Fiscalia Geral do Estado, contactadas pela agência de notícias EFE, o pedido de detenção foi formalizado por Pablo Llarena, juiz do Tribunal Supremo e aplica-se apenas à Dinamarca.

No entanto, esse pedido acabou por ser recusado pelo juiz Pablo Llarena,

Trata-se da primeira vez que o ex-presidente da região autónoma da Catalunha se desloca a um outro país desde que se encontra na Bélgica para onde fugiu no final de 2017.

A Procuradoria espanhola já tinha anunciado no domingo que iria solicitar "de forma imediata" uma ordem de internacional de detenção contra Puigdemont, caso o ex-presidente da região autónoma da Catalunha se deslocasse à Dinamarca.

Carles Puigdemont, que se encontra em Bruxelas desde o final de 2017, viajou para a Dinamarca num voo da companhia Ryanair que aterrou em Copenhaga às 08h20 (07h20 em Lisboa).

O Supremo Tribunal de Espanha emitiu em dezembro um mandado de detenção internacional contra Puigdemont, mas retirou-o quando a Bélgica se recusou a extraditá-lo, para impedir que o líder catalão pudesse obter o estatuto de asilado político.

Carles está em Copenhaga para participar num debate sobre a Catalunha, na universidade local.

Apesar do exílio em Bruxelas, Puigdemont reúne a maioria dos deputados eleitos no escrutino de dezembro e surge como o mais bem colocado para ser designado como novo presidente do parlamento regional.

Ver comentários