Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
7

Israel viola cessar-fogo

Israel violou na sexta-feira o cessar-fogo imposto pela ONU, ao efectuar um ataque aéreo na zona Este do Líbano. Este sábado chegaram ao porto libanês de Nakura 50 soldados franceses, os primeiros militares estrangeiros a integrar a força de paz das Nações Unidas para o Líbano (UNIFIL) para defender o as tréguas entre as duas facções, de acordo com a resolução 1.701 da ONU.
19 de Agosto de 2006 às 12:30
O exército de Israel confirmou que comandos das forças especiais israelitas operaram hoje de manhã no Líbano, apesar do cessar-fogo em vigor desde segunda-feira. O ataque israelita ocorreu na região de Békaa, no este do Líbano. Soldados israelitas atacaram milícias do Hezbollah numa missão, confirmada pelo Exército israelita, destinada a deter a transacção ilegal de armas entre a Síria, o Irão e o grupo xiita.
O Exército israelita admitiu ainda a morte de um soldado a existência de dois militares feridos na sequência do ataque.
Por sua vez, a milícia libanesa Hezbollah afirma ter repelido o ataque de um grupo de soldados israelitas que foram aerotransportados até uma zona próxima da localidade libanesa de Baalbek, no vale de Békaa.
Entretanto, na região que se prolonga desde o rio Litani e a fronteira com Israel encontram-se já colocados milhares de soldados libaneses, na sequência do cumprimento da mesma resolução da ONU. Este sábado, pela primeira vez em 40 anos, o Exército libanês instalou-se junto à fronteira com Israel, no sudeste do Líbano, segundo confirmou o comandante da 10ª brigada de infantaria, Charles Chikhani.
Depois de 32 dias de conflito armado entre as tropas israelitas e as milícia do Hezbollah, o sul do Líbano deve agora ser controlado por 15 mil efectivos libaneses e uma força de outros 15 mil soldados da UNIFIL. AS Nações Unidas esperam ter na região, nos próximos dez dias, os primeiros 3.500 soldados da sua força de paz.
França, que foi fortemente criticada por se recusar a enviar mais de 200 homens para o território, começou já esta manhã o envio dos militares.
LÍBANO AMEAÇA REVER ENVIO DE TROPAS
O ministro libanês da Defesa, Elías Murr, disse hoje que o seu país “vai rever” a deslocação do Exército para a região sul do Líbano caso continuem “as agressões israelitas”, segundo avançou a rádio “A Voz do Líbano”.
Numa reacção ao ataque israelita, o primeiro-ministro libanês, Fuad Siniora, considerou que a operação desenvolvida esta manhã por comandos do Exército de Israel no Líbano foi uma “violação flagrante” do cessar-fogo entre o Estado hebreu e o Hezbollah.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)