Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
2

Projetos para Museu Nacional da Resistência mostrados em Lisboa

Ministro da Cultura inaugura mostra das ideias de arquitetura para o espaço que vai abrir em Peniche.
Lusa 20 de Junho de 2018 às 06:10
Fortaleza de Peniche foi prisão política no Estado Novo
Fortaleza de Peniche foi prisão política no Estado Novo
Fortaleza de Peniche foi prisão política no Estado Novo
Fortaleza de Peniche foi prisão política no Estado Novo
Fortaleza de Peniche foi prisão política no Estado Novo
Fortaleza de Peniche foi prisão política no Estado Novo
Fortaleza de Peniche foi prisão política no Estado Novo
Fortaleza de Peniche foi prisão política no Estado Novo
Fortaleza de Peniche foi prisão política no Estado Novo

O ministro da Cultura inaugura esta quarta-feia a exposição dos projetos de arquitetura para o Museu Nacional da Resistência e da Liberdade, patentes até 16 de setembro, no Museu de Arte Popular, em Lisboa.

Depois dessa data, a exposição vai estar em Peniche, disse à agência Lusa, o presidente da câmara municipal, Henrique Bertino.

Lançado pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), e pela Ordem dos Arquitetos, o concurso público de arquitetura para o futuro Museu Nacional da Resistência e da Liberdade, na Fortaleza de Peniche, recebeu 22 candidaturas.

A equipa coordenada pelo arquiteto João Barros Matos foi a vencedora, ao propor a "sobreposição de percursos de diferente natureza, nunca perdendo, cada um deles, autonomia, significado ou fluidez no seu conjunto" e manter os valores arquitetónicos com interesse patrimonial, não deixando de se abrir a leituras mais contemporâneas", considerou o júri.

Os trabalhos foram apreciados por um júri, composto pelos arquitetos Alexandre Alves Costa, João António Serra Herdade, João Mendes Ribeiro e Sofia Aleixo, e pelo designer Henrique Cayatte.

O Governo decidiu investir 3,5 milhões de euros na recuperação da Fortaleza de Peniche, distrito de Leiria, para vir aí a instalar o Museu Nacional da Resistência e da Liberdade, depois de, em 2017, a ter retirado da lista de monumentos a concessionar a privados para fins turísticos, dada a polémica que gerou.

Já este ano, foi apresentado o guia de conteúdos do museu, com 11 núcleos temáticos, e lançado concurso de um milhão de euros para a requalificação do monumento.

A fortaleza, classificada como Monumento Nacional desde 1938, foi uma das prisões do Estado Novo de onde se conseguiu evadir, entre outros, o histórico secretário-geral do PCP Álvaro Cunhal, em 1960, protagonizando um dos episódios mais marcantes do combate ao regime ditatorial.

Ver comentários