Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Probabilidade de apanhar Covid-19 num avião é semelhante à de levar com um raio

Desde o início de 2020 foram confirmados apenas 44 casos de Covid-19 associados a viagens de avião.
Correio da Manhã 9 de Outubro de 2020 às 16:13
Coronavírus no avião
Coronavírus no avião FOTO: Getty Images

O risco de ficar infetado com Covid-19 a bordo de um avião é semelhante ao de levar com um raio. As conclusões são de um estudo recente da International Air Transport Association (IATA), que revela que desde o início de 2020 foram confirmados apenas 44 casos de Covid-19 associados a uma viagem de avião. Recorde-se que durante este período cerca de 1,2 mil milhões de pessoas já viajaram por este meio.

"O risco de um passageiro contrair Covid-19 a bordo de um avião é muito baixo. Com apenas 44 casos identificados como relacionados com viagens de avião entre 1,2 mil milhões de passageiros, temos um caso a cada 27 milhões de passageiros. Sabemos que esta pode ser uma subestimativa, mas mesmo se 90% dos casos não tiverem sido relatados, teríamos apenas um caso em cada 2,7 milhões de viajantes", afirma o Dr. David Powell, conselheiro médico da IATA.

A explicação para este número ser tão baixo resulta de uma investigação conjunta da Airbus, Boeing e Embraer sobre a dinâmica de fluidos computacional nas suas aeronaves. Apesar das metodologias usadas serem diferentes de fabricante para fabricante, todas as simulações confirmaram que os sistemas de ventilação dos aviões controlam o movimento das partículas na cabine, limitando assim a propagação do vírus.

A aviação goza de uma reputação de segurança que a distingue de outros meios de transporte e isso parece não ter mudado com o coronavírus. De acordo com outro estudo da IATA, 86% dos viajantes recentes sentiram que as medidas da indústria contra a Covid-19 os estão a manter seguros e foram bem implementadas.

"Não há nenhuma solução mágica que nos permita viver e viajar nos tempos do coronavírus. Mas a combinação de medidas que estão a ser implementadas assegura os viajantes de que a Covid-19 não lhes roubou a liberdade de viajar. Nada é totalmente isento de risco, mas com apenas 44 casos de coronavírus relacionados com viagens de avião entre 1,2 mil milhões de viajantes, o risco de contrair Covid-19 num avião está na mesma categoria de ser apanhado por um raio", afirmou Alexandre de Juniac, director-geral e CEO da IATA.

International Air Transport Association Covid-19 IATA aviação saúde coronavírus avião
Ver comentários