Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

Brasil chora perda de Elza Soares, a ‘voz do milénio’

Artista morreu aos 91 anos, ao fim de 70 de carreira e de uma vida marcada por tragédias e sofrimento.
Vânia Nunes 22 de Janeiro de 2022 às 09:33
Artista em Portugal em 2017
Casamento com Mané Garrincha durou 17 anos
Garrincha morreu em 1983, no mesmo dia que Elza Soares
Multidão na despedida
Artista em Portugal em 2017
Casamento com Mané Garrincha durou 17 anos
Garrincha morreu em 1983, no mesmo dia que Elza Soares
Multidão na despedida
Artista em Portugal em 2017
Casamento com Mané Garrincha durou 17 anos
Garrincha morreu em 1983, no mesmo dia que Elza Soares
Multidão na despedida
Elza Soares, considerada a ‘voz do milénio brasileira’ deixou o país de luto, na quinta-feira, com a sua partida, aos 91 anos.

Marcada por uma vida de sofrimento, a artista acabou por se tornar um ícone de força e resiliência, principalmente para outras mulheres negras, agarrando-se à música como o seu alento até ao fim. “Os seus últimos dias foram de uma rainha. Ela gravou o DVD [nos dias 17 e 18 de janeiro], cantou, estava numa casa nova que tinha comprado... Estava superfeliz, superbem e morreu no auge de seus 70 anos de carreira, com tudo que ela demorou uma vida inteira para conquistar”, revelou o seu empresário, Pedro Loureiro.

A sambista começou a cantar em 1953 e na década seguinte deu logo nas vistas ao ponto de a verem como uma das maiores vozes do Brasil. ‘A Carne’ ou ‘Maria da Vila Matilde’ foram alguns dos seus sucessos, entre os 30 álbuns que editou.

“Elza Soares foi uma concentração extraordinária de energia e talento no organismo da cultura brasileira”, frisou Caetano Veloso. Gilberto Gil lamentou a perda das “grandes intérpretes do samba” e sublinhou “as saudades que o Brasil vai sentir” da sua voz. Zeca Pagodinho agradeceu “a arte” da mítica artista.

perfil
Elza Soares nasceu em junho de 1930, na favela Moça Bonita, no Rio de Janeiro. A par de uma vida atribulada e com muitas polémicas, foi ganhando cada vez mais fulgor com o seu samba. Em 1999 foi eleita pela BBC a cantora brasileira do milénio. Depois de uma pausa de oito anos, em 2015 lançou ‘A Mulher do Fim do Mundo’, visto como o seu renascimento. Valeu-lhe um Grammy Latino.


Violência, dor e o casamento com Garrincha
A vida pessoal de Elza Soares foi desde cedo marcada pela provação. Aos 12 anos foi abusada e obrigada a casar-se, meses antes de ser mãe pela primeira vez. Aos 15 anos viu um filho morrer de fome, e mais tarde morreram outros três. Foi casada com o lendário futebolista Garrincha, que também a agredia.

Emoção marca última homenagem
As cerimónias fúnebres da artista decorreram esta sexta-feira e foram marcadas pela emoção. O Theatro do Rio, no Rio de Janeiro, fechou-se para a família ao início da manhã, sendo depois aberto ao público, com admiradores e amigos a fazerem questão de prestar uma última homenagem. O corpo seguiu depois para o Cemitério Jardim da Saudade em Sulacap, zona Oeste do Rio de Janeiro, passando o cortejo pela Avenida Atlântica, em Copacabana, onde Elza viveu muitos anos. Elza morreu na quinta-feira, em sua casa, de causas naturais.

Espetáculos em Portugal
A partir de 2015, a carreira de Elza Soares ganhou um novo fôlego e os espetáculos multiplicaram-se. Em Portugal passou pelo festival Vodafone Mexefest, em 2016, e pelo NOS Primavera Sound, no Porto, em 2017.
Ver comentários