Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

Clássicos da Disney são mina de ouro

Disney prepara novas versões com atores de carne e osso.
Rui Pedro Vieira 22 de Setembro de 2015 às 08:01
'Guerra das Estrelas' em parque temático

É a nova mina de ouro da Disney, capaz de construir uma alternativa cada vez mais rentável às aventuras de super-heróis: várias adaptações de velhos clássicos de animação estão em produção, só que desta vez em imagem real. É o caso de ‘Pinóquio’, ‘Winnie the Pooh’, ‘O Livro da Selva’, ‘Dumbo’ e ‘Mulan’.

A tendência de criar novas versões com atores de carne e osso ganhou força há cinco anos, quando Tim Burton revisitou o clássico de Lewis Carroll, ‘Alice no País das Maravilhas’. O sucesso traduziu-se em 907 milhões de euros nas bilheteiras de todo o Mundo, além de dois Óscares (Melhor Direção Artística e Guarda-Roupa).

O cineasta de ‘Eduardo Mãos de Tesoura’ decidiu agora reincidir no género e, além de produzir a sequela ‘Alice do Outro Lado do Espelho’, que chega aos cinemas em 2016, vai também dirigir uma nova versão de ‘Dumbo’, 74 anos após a animação da Disney.

Em preparação estão ainda adaptações de ‘A Espada Era a Lei’, com argumento de Bryan Cogman, produtor de ‘A Guerra dos Tronos’, além de ‘A Bela e o Monstro’. O filme, que só chega em 2017, conta com Emma Watson e Dan Stevens no elenco.

Antes, em abril do próximo ano, a aposta da Disney será ‘O Livro da Selva’, que vai articular imagem real com animação digital. Bill Murray, Christopher Walken, Ben Kingsley, Idris Elba e Scarlett Johansson dão voz a algumas das personagens.
Ver comentários