Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

Dez mil pessoas assinam petição contra Museu Salazar

Personalidades criam documento para impedir criação de espaço sobre Estado Novo.
Luís Oliveira 21 de Agosto de 2019 às 08:28
Centro Interpretativo do Estado Novo vai ser construído na Escola-Cantina Salazar, em Santa Comba Dão
António de Oliveira Salazar liderou o Estado Novo português
António de Oliveira Salazar liderou o Estado Novo português
Centro Interpretativo do Estado Novo vai ser construído na Escola-Cantina Salazar, em Santa Comba Dão
António de Oliveira Salazar liderou o Estado Novo português
António de Oliveira Salazar liderou o Estado Novo português
Centro Interpretativo do Estado Novo vai ser construído na Escola-Cantina Salazar, em Santa Comba Dão
António de Oliveira Salazar liderou o Estado Novo português
António de Oliveira Salazar liderou o Estado Novo português
Mais de 10 mil pessoas já assinaram a petição pública em que é pedida a intervenção do Governo socialista de forma a impedir a instalação de um museu dedicado ao Estado Novo e ao seu líder, António Oliveira Salazar, em Santa Comba Dão.

A autarquia local revelou na semana passada que pretende iniciar ainda este mês a primeira fase de requalificação da Escola-Cantina Salazar, o local onde vai nascer o Centro Interpretativo do Estado Novo.

O documento digital foi colocado na internet na passada sexta-feira e esta terça-feira, ao final da tarde, já tinha mais de 10 mil assinaturas. A petição tem como subscritores a escritora Maria Teresa Horta, o antigo reitor da Universidade de Lisboa José Barata Moura, o cantor de intervenção Francisco Fanhais e o antigo líder sindical Carvalho da Silva, entre outras personalidades de vários setores da sociedade.

"Museu de Salazar, não" é o título de um texto em que os subscritores revelam "o mais veemente repúdio pela criação do Museu Salazar anunciado pelo presidente da Câmara", que "se prefigura como um instrumento ao serviço do branqueamento do regime fascista (1926 - 1974) e um centro de romagem para os saudosistas do regime derrubado com o 25 de Abril".

PORMENORES 
Duas fases
O Centro Interpretativo do Estado Novo será construído em duas fases. A primeira será a recuperação da cantina, no valor de 150 mil euros.

Figuras históricas
Será um dos edifícios da região Centro que integrará a Rota das Figuras Históricas, alusiva a personalidades determinantes da história do século XX.

Local de estudo
"Este será um local para o estudo do Estado Novo e nunca um santuário para nacionalistas,"diz Leonel Gouveia, autarca de Santa Comba Dão.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)