Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

Elida Almeida: Uma bandeira contra o femicídio

Artista caboverdiana canta 'Sai Bu Bai' à capela.
Tiago Sousa Dias 3 de Dezembro de 2020 às 17:32
A carregar o vídeo ...
Elida Almeida canta 'Sai Bu Bai' à capela

Elida Almeida tem novo trabalho no mercado, GerasoNobu. Deste disco a cantora cabo-verdiana destaca o tema Sai Bu Bai (Vai-te embora), em que fala sobre o femicídio , crime baseado no género, ou o assassinato de mulheres no contexto de violência doméstica. "Retrato um dos flagelos sociais que preocupa Cabo Verde neste momento. Uma coisa que está a acontecer com muita frequência. É uma carta de uma menina a quem foi retirada a vida pelo próprio marido, a pessoa que mais amou na vida. O mais triste é que nessa carta é que a menina não está preocupada com o facto de ter perdido a vida com vinte e cinco anos mas sim porque o marido não pensou no filho. Como é que a criança vai crescer? 

Uma das coisas que diz ao marido é: Porque não pensaste no nosso passado? Tivemos um passado tão feliz e tão quente", conta Elida Almeida. É a história de uma mulher que quer acabar a relação em que o amor deixou de existir. " Ela é minha, já foi minha um dia, e se não for minha não vai ser de ninguém. E tira-lhe a vida", disse, revelando que a música é um convite à reflexão. 

Para a cantora a base deste problema é a "falta de diálogo" e isso faz com que a relação vá até um ponto de "saturação" que resulta "numa explosão". "Com mais diálogo talvez se possa salvar o amor", reforçou.

O álbum GerasoNobu vem na mesma linha dos trabalhos anteriores de Elida. Música tradicional de Cabo Verde, mas sempre com um pé no mundo. " Com influências de sonoridades diferentes mas sempre agarrado à minha tradição. Dei esse nome porque é uma geração de que faço parte, na qual tenho muito orgulho. Uma geração que está a dar um caminho diferente à música de Cabo Verde. Em que cada um tem uma luz própria, uma sonoridade singular, com o objetivo de levar a nossa música aos quatro cantos do mundo" informa a cantora.

A produção do disco ficou mais uma vez a cargo de Hernani Almeida, mas também com a mão de Jacob da banda Kassav e do queniano Blinky Bill. "O Hernani Almeida continua a ser o meu braço direito, então tem uma mistura entre 'badio' ( da ilha de Santiago) e 'sampadjudo' ( da ilha de São Vicente), Tabanka e Mandinga", conclui Elida Almeida.

-----

Vídeo: Tiago Sousa Dias

Edição de vídeo: Adrian Negura

Ver comentários