Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

Elvis Presley faleceu há 44 anos. Conheça os mistérios que envolvem a causa da morte do cantor

Músico foi encontrado morto na casa de banho de casa, mas as circunstâncias ainda permanecem um mistério.
Correio da Manhã 17 de Agosto de 2021 às 02:40
Elvis Presley, o rei do Rock.
Elvis Presley, o rei do Rock. FOTO: Getty Images

Elvis Presley mudou o Rock and Roll para sempre, mas nos últimos anos de vida era mais falado pela vida de excessos que levava.

A 16 de agosto de 1977, Elvis foi encontrado morto na casa de banho de casa, com a cara virada para o chão.

No dia da morte do cantor foi realizada uma autópsia, mas a família declarou que o relatório ficaria selado durante 50 anos, o que aumentou a especulação.

Até aos dias de hoje existem diversas teorias sobre a causa de morte do cantor que morreu aos 44 anos.

Coração e intestino com o dobro do tamanho

Durante a juventude, Elvis era bastante atlético: treinava regularmente, jogava futebol e praticava artes marciais.

Com dificuldades em lidar com a fama internacional que rapidamente adquiriu, o cantor começou a tomar diversos tipos de drogas, bem como antidepressivos para lidar com as insónias frequentes que tinha.

A dieta, outrora cuidada, deixou de existir. Elvis desenvolveu um gosto especial por comida pouco saudável como manteiga de amendoim frita ou sanduíches recheadas de banana. A falta de cuidados com a alimentação levou-o a ganhar diabetes e uma tensão arterial elevada.

A saúde da estrela tinha-se deteriorado ao longo dos anos devido aos excessos. O coração de Elvis tinha inchado para quase o dobro do tamanho normal, o que sugere que o músico de encontrava em fases avançadas de uma doença cardiovascular.

O intestino também tinha quase o dobro do comprimento que deveria ter e estava cheio de fezes com pelo menos quatro meses, o que os médicos descrevem como "a descoberta mais horripilante de todas".

Três malas carregadas de medicamentos prescritos pelo médico

Embora muitos insistam que Elvis faleceu por causa de uma paragem cardiorrespiratória, outros acreditam que as drogas desempenharam um papel importante na morte do cantor.

No últimos 20 meses de vida de Elvis, o seu médico pessoal George Nichopoulos prescreveu-lhe mais de 12 mil comprimidos que estavam carregados em três malas.

O médico afirma que os medicamentos eram para o uso de toda a equipa de Elvis e não só do músico. George acredita ainda que o cantor se encontrava em negação face aos vícios de que era refém.

Muitos fãs de Elvis acreditam que as drogas possam ter sido a causa de morte e embora nunca se tenha confirmado, a realidade é que George Nichopoulos perdeu a sua licença médica muitos anos mais tarde, em 1995.

Possibilidade de suicídio: "Estou farto e cansado da minha vida"

Nos últimos anos, têm também surgido teorias de que a estrela do Rock pode ter cometido suicídio.

Num documentário da HBO intitulado de "Elvis Presley: The Searcher", Priscilla, ex-mulher do cantor deu a entender que Elvis trocava cartas com um amigo próximo onde se demonstrada infeliz. "Estou cansado e farto da minha vida", terá escrito.

Apesar disto, a noiva de Elvis aquando da sua morte, Ginger Alden, veio contrariar a possibilidade de suicídio. Segundo a mulher, o cantor mostrava-se entusiasmado para o futuro e com o regresso aos palcos.

As circunstâncias da morte de Elvis Presley vão permanecer em mistério pelo menos até 2027. Esse é o ano em que todos os detalhes da autópsia do músico vão ser tornados públicos, depois de estarem selados 50 anos.

 

Elvis Presley George Nichopoulos Rock questões sociais morte suicídio assistido e eutanásia
Ver comentários
}