Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

Feiras do livro dão nova esperança ao setor

Responsável pelo certame em Lisboa fala em “ajuda clara para a retoma”.
Miguel Azevedo 15 de Setembro de 2020 às 08:43
O sucesso das feiras do livro vieram dar um novo alento aos profissionais do setor
O sucesso das feiras do livro vieram dar um novo alento aos profissionais do setor FOTO: Ricardo Jr.
Num ano dramático para o setor livreiro por conta da pandemia, que deverá levar a perdas estimadas na ordem dos 30 milhões de euros, as Feiras do Livro de Lisboa e Porto, que terminaram este fim de semana, vieram dar um novo alento aos seus profissionais.

No caso da Feira do Livro de Lisboa, que se realizou entre os dias 27 de agosto e 13 de setembro, no Parque Eduardo VII, "as expectativas foram largamente superadas em todas as vertentes", adianta ao CM Bruno Pires Pacheco da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL). "Tínhamos algum otimismo, mas o que se passou deixa-nos muito animados para o resto do ano. É uma ajuda clara para a retoma", diz. Apesar de não haver números finais apurados, o volume de vendas ter-se-á traduzido "em valores aproximados aos das últimas duas edições", e no que toca ao público, em Lisboa, estima-se que a afluência de visitantes tenha sido cerca de metade das anteriores edições, "o que, dentro do que era expectável, é muito positivo".

Também a Feira do Livro do Porto foi um sucesso dentro da nova realidade. Apesar das restrições à entrada, o evento, que teve lugar nos Jardins do Palácio de Cristal, entre 28 de agosto e 13 de setembro, registou cerca de 100 mil visitantes, número que já foi considerado por Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal da invicta, como "extraordinário na circunstância atual".

O curador Nuno Faria olha para o evento como "um horizonte de esperança" para todos.
Ver comentários