Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

Felisberto Andrade e El Dimitri tocam 'mornas' nas noites de Lisboa

Dupla de músicos tem dado nas vistas na capital do País.
Tiago Sousa Dias 12 de Agosto de 2021 às 16:41
A carregar o vídeo ...
Felisberto Andrade e El Dimitri tocam 'mornas' nas noites de Lisboa

A dupla Felisberto Andrade e El Dimitri tem dado nas vistas na cidade de Lisboa. Foi com eles que o CM falou e ouviu a Morna 'Sima cretcheu' de Jorge Tavares, tocada em Alfama, um dos bairros típicos de Lisboa.

Felisberto Andrade é da Ilha do Fogo em Cabo Verde. Está em Portugal há 15 anos. É músico, cantor e compositor. Tem o cavaquinho como instrumento de eleição. 

El Dimitri é guitarrista e baixista. É oriundo de São Petersburgo, na Rússia. Vive em Lisboa há 5 anos, altura em que deixou França onde também viveu algum tempo e sente que tudo isso moldou o seu percurso musical.

"Eu conheci o Dimitri, este ser notívago, nas noites e serenatas de Lisboa", recorda Felisberto. "Era muito evidente o seu interesse pela música. Os sítios onde ele aparece são os lugares onde há música. Vai com o seu instrumento, e, como nós dizemos aqui, dá uma 'canja'. Notei que estava à procura de uma oportunidade para crescer enquanto músico". Felisberto Andrade falou então com Dimitri e começaram a trabalhar juntos. Em plena quarentena passaram cerca de 3 dias a ensaiar, o suficiente para perceberam que podiam fazer um caminho com continuidade, aprendendo e crescendo juntos.

"A música cabo-verdiana acompanha-me desde cedo", refere Dimitri. "Não posso dizer que é algo já adquirido. É um processo natural para mim. Mesmo bem longe na Rússia, os meus pais eram grandes ouvintes das músicas do mundo. Tinham uma ótima coleção de discos, entre os quais música de Cabo Verde. Naquela altura não ligava muito, mas hoje em dia sei que ficou comigo, no meu interior", Dimitri conta também que a sua vivência de estudante durante 5 anos em França fez com que voltasse a descobrir, já pela sua própria vontade, a música de Cabo Verde. "A minha vinda definitiva para Lisboa teve várias influências, mas uma delas foi a forte presença da música cabo-verdiana na paisagem musical lisboeta."

Felisberto está neste momento a ultimar o seu disco que terá temas maioritariamente da sua autoria. Vai incidir na música tradicional cabo-verdiana. Morna, Coladeira, Funamba que é uma fusão entre Samba e Funaná. "Se eu puder tirar algo positivo da pandemia, será dizer que ainda bem que não gravei naquela altura. Porque com esta paragem tive bastante tempo para repensar e reformular as ideias iniciais, que neste momento são mais maduras e concisas. A ideia inicial do álbum neste momento já não existe. Fiz mais algumas composições e agora há filhos da quarentena que vou ter que introduzir no álbum", conta o músico da Ilha do Fogo

El Dimitri pretende continuar a crescer como músico, como profissional. Continuar e fazer mais colaborações com Felisberto, que considera um grande profissional da área da música. "Descobrir novos mundos musicais, com certeza. Fazer aquilo que Lisboa nos oferece, que são aqueles encontros incríveis que nem sempre conseguimos prever. E ainda bem", conclui o músico de São Petersburgo.

Ver comentários