Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
6

"Foi um ano um bocadinho perdido": Lucibela regressa aos palcos após dezenas de concertos cancelados devido à pandemia

Neste mês de Agosto a cantora cabo-verdiana deu o seu primeiro concerto depois do início da pandemia.
Tiago Sousa Dias 20 de Agosto de 2020 às 17:57
A carregar o vídeo ...
"Foi um ano um bocadinho perdido": Lucibela regressa aos palcos após dezenas de concertos cancelados devido à pandemia

A cantora cabo-verdiana Lucibela começou a sua aventura musical em São Vicente. Cantou em  quase todas as ilhas, do  Sal e Boavista a Santiago. Agora vive em Lisboa onde fez o seu primeiro disco, de música tradicional. "Aqui faço muitas tournées, 2019 foi um ótimo ano, tive mais de 60 concertos. Este ano tinha bastantes concertos que infelizmente foram anulados devido à situação que estamos a viver.", informa a cantora referindo-se à pandemia do Covid-19. Foram duas tournées nos Estados Unidos e uma no Canadá, além de vários concertos por países europeus que foram cancelados.

"Foi um bocado difícil porque ia ser um ano em que me ia fixar nos mercados, e as pessoas iam ouvir-me mais. Foi um ano um bocadinho perdido, mas as portas estão abertas, e de certeza que vamos reagendar em todos os lugares onde tinha concertos.", diz Lucibela.

Neste mês de Agosto deu o seu primeiro concerto depois do início da pandemia. Foi no Espaço Espelho d'Água e fez parte do evento SomSabor, onde se mistura a gastronomia e a música." Foi um regresso ao palco depois de tantos meses. Confesso que estava um bocadinho nervosa, apreensiva, mas correu tudo bem e a noite foi maravilhosa." conta a artista cabo-verdiana.

Para apresentar o seu trabalho Lucibela escolheu um reportório de músicas conhecidas em Cabo Verde. Um dos temas foi 'Mal Amadu', uma das músicas mais populares do disco. "Essa música é da Élida Almeida. É uma música muito forte que diz que não devemos ter inveja dos outros, do que têm ou conseguem, porque o que é nosso um dia virá." conclui a cantora, que voltará ao palco já em Setembro na Amadora e em Outubro por terras francesas.

Ver comentários