Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

Marcelo Rebelo de Sousa condecora cantor Carlos Paião

Insígnias foram recebidas pelos pais do músico, Ofélia Paião e Carlos Paião.
Miguel Azevedo 18 de Setembro de 2020 às 08:16
Os pais Ofélia e Carlos Paião receberam as insígnias
Carlos Paião
Carlos Paião no Festival RTP da Canção
Os pais Ofélia e Carlos Paião receberam as insígnias
Carlos Paião
Carlos Paião no Festival RTP da Canção
Os pais Ofélia e Carlos Paião receberam as insígnias
Carlos Paião
Carlos Paião no Festival RTP da Canção
No ano em que completaria 40 anos de carreira, Carlos Paião foi condecorado, a título póstumo, com o grau de comendador da Ordem do Infante D. Henrique, pelo Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa. A cerimónia restrita decorreu no passado dia 10 de setembro no Palácio de Belém. Receberam as insígnias os pais do homenageado, Ofélia Paião e Carlos Paião, ambos com 88 anos.

Na cerimónia, Marcelo Rebelo de Sousa expressou a gratidão e o carinho perante a obra e a figura de Carlos Paião, transversais na sociedade portuguesa e em várias gerações. Da parte de Carlos Paião discursou Nuno Gonçalo da Paula, autor da biografia do cantor ‘Intervalo’, editada em 2011. “Há dez anos, eu já tinha feito um pedido ao Presidente da República da altura, Cavaco Silva, para condecorar o Carlos Paião, até porque passavam 25 anos sobre a sua morte, mas isso nunca veio a acontecer”, conta ao CM Nuno Gonçalo da Paula, que mais recentemente voltou a endereçar novo pedido à presidência, agora dirigido a Marcelo Rebelo de Sousa.

Para as datas da condecoração, ainda foram sugeridos os meses de outubro (quando se comemora o dia da música) ou novembro (mês do nascimento de Carlos Paião), mas a cerimónia viria a acontecer em setembro. A verdade é que, contas feitas, passam 40 anos desde que o músico de Coimbra, que morreu a 26 de agosto de 1988 num acidente, concorreu pela primeira vez, ao Festival RTP da Canção.
Ver comentários