Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
6

Metallica ferozes com Tejo em pano de fundo

Grupo recordou Censurados e Xutos & Pontapés ontem à noite num concerto intenso.
Pedro Rodrigues Santos 2 de Maio de 2019 às 01:30
Vibrante: o concerto dos Metallica deixou os fãs da banda deliciados. Nem o vento conseguiu estragar a festa
Vibrante: o concerto dos Metallica deixou os fãs da banda deliciados. Nem o vento conseguiu estragar a festa
Vibrante: o concerto dos Metallica deixou os fãs da banda deliciados. Nem o vento conseguiu estragar a festa
Vibrante: o concerto dos Metallica deixou os fãs da banda deliciados. Nem o vento conseguiu estragar a festa
Vibrante: o concerto dos Metallica deixou os fãs da banda deliciados. Nem o vento conseguiu estragar a festa
Vibrante: o concerto dos Metallica deixou os fãs da banda deliciados. Nem o vento conseguiu estragar a festa
Vibrante: o concerto dos Metallica deixou os fãs da banda deliciados. Nem o vento conseguiu estragar a festa
Vibrante: o concerto dos Metallica deixou os fãs da banda deliciados. Nem o vento conseguiu estragar a festa
Vibrante: o concerto dos Metallica deixou os fãs da banda deliciados. Nem o vento conseguiu estragar a festa
Não há fome que não dê fartura com os Metallica e a sua ‘WorldWired Tour’. Pouco mais de um ano após uma passagem apoteótica pela Altice Arena, a banda de James Hetfield regressou ontem à capital para rever, numa noite, os seus mais intensos clássicos.

Primeiro tocaram os noruegueses Bokassa, depois os suecos Ghost, para prepararem o público – frenético –, que quase encheu o Estádio do Restelo, para uma noite de loucos. Na memória de muitos milhares estava ainda a homenagem dos Metallica, com ‘A Minha Casinha’, a Zé Pedro, dos Xutos & Pontapés.

À semelhança do que sucedeu em 2018, o concerto de ontem à noite arrancou com imagens do filme ‘O Bom, o Mau e o Vilão’, e logo a seguir a banda atacou ‘Hardwired’ e lançou o caos entre a multidão com os temas ‘Disposable Heroes’ e ‘Ride the Lightning’.

"É bom ver-vos de novo", atirou o vocalista James Hetfield para a audiência. "Temos muitas canções para vos dar", acrescentou logo a seguir, em tom de promessa. O vento que passava pelo estádio não ajudava o som e o palco, demasiado baixo, obrigou o público a seguir o concerto pelos ecrãs gigantes. Ninguém pareceu muito preocupado...

Esperavam-se surpresas e elas apareceram uma a seguir à outra. Primeiro, problemas técnicos com o som e a imagem do ecrã gigante interromperam a noite a meio e fizeram temer o pior.

"Coisas de primeiro concerto da digressão", brincou James Hetfield. "Bebam uma cerveja!", atirou de seguida. Muitos beberam-na, nem que fosse só para ficarem com o copo exclusivo do concerto como recordação contra dois euros de "taxa" de devolução.

As coisas pareciam complicadas em cima do palco com ‘Sad But True’ e ‘Welcome Home (Sanitarium)’ mas encontrou-se logo solução. Robert Trujillo e Kirk Hammett surpreendem a cantar ‘Censurados’, e, de seguida, com ‘A Minha Casinha’ dos Xutos & Pontapés. Homenagens feitas a João Ribas dos Censurados e a Zé Pedro, os dois lançaram de novo a noite para uma grande segunda parte.

O vento desapareceu e o som subiu bem de nível para um fecho de luxo com ‘One’ e ‘Masters of Puppets’, com direito a coro de milhares de vozes, ‘For Whom the Bell Tolls’ e ‘Creeping Death’, para acabafrem com ‘Seek & Destroy’. Para o ‘encore’ estavam guardados ‘Lords’ of ‘Summer’, ‘Nothing Else Matters’ e ‘Enter Sandman, para fecharem em grande estilo com fogo de artifício.

Não foi fácil tirar os quatro de cena. O estádio do Restelo esvaziava-se enquanto a banda se entretinha os afortunados que tinham ficado "colados" ao palco, mas James Hetfield e Lars Ulrich ainda conseguiram apanhar os menos apressados com palavras de alegria e elogio para um público incansável a apoiá-los.

Os Metallica deram o seu máximo neste primeiro concerto da digressão e os fãs retribuíram com entusiasmo. Uns trabalhadores, no dia em que lhes é dedicado, numa noite em cheio.
Ver comentários