Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

Morreu Quino, o ‘pai’ da incorrigível Mafalda

Cartoonista argentino, de 88 anos, tinha sofrido um AVC na semana passada.
Miguel Azevedo 1 de Outubro de 2020 às 08:14
A personagem Mafalda com o seu criador,  o humorista Quino
A personagem Mafalda com o seu criador, o humorista Quino FOTO: EFE
"A sopa é para a infância o que o comunismo é para a democracia". "Se a vida só começa a ser vivida aos quarenta, porque raio é que nos fazem vir com tanta antecedência". "Parem o Mundo que eu quero descer". Estas são algumas das frases que ficaram célebres nas vinhetas que tinham como protagonista a única e incorrigível Mafalda, uma das mais conhecidas personagens da banda desenhada. Quino, o seu criador, morreu ontem, aos 88 anos de idade. Segundo o jornal argentino ‘Clarin’, o desenhador tinha sofrido um AVC na semana passada, que o tinha deixado bastante debilitado.

Nascido Joaquín Salvador Lavado Tejón a 17 de Julho de 1932, em Mendoza, na Argentina, filho de imigrantes espanhóis, cedo começou a ser tratado pelo diminutivo Quino pelos próprios familiares como forma de o diferenciarem de um tio com o mesmo nome. Vendeu o seu primeiro desenho para um anúncio de uma loja de seda, publicou a sua primeira página de humor no semanário ‘Esto Es’, e em 1963 já lançava a primeira compilação dos seus desenhos num livro chamado Mundo Quino.

Em 1964, no entanto, a fama bateu-lhe à porta, tudo por causa de uma menina de seis anos chamada Mafalda que havia criado, dois anos antes, para um anuncio de eletrodomésticos que, curiosamente, nunca chegou a ver a luz do dia. Quino, viria a usá-la como uma espécie de alter ego que ao mesmo tempo fazia pensar os adultos e entretinha as crianças.

Mafalda, a personagem que adora os Beatles e odeia sopa ("abaixo a liberdade de imprensa" disse quando viu uma receita de sopa num jornal), a menina perspicaz que pensa o mundo politico e social com tiradas de mestre nasceu mais precisamente em 1962 para surpreender tudo e todos. A própria questionou um dia: "Já que há mundos mais evoluídos, porque é que eu tinha de nascer justamente neste?".

SAIBA MAIS
1968
é o ano em que Mafalda apareceu pela primeira vez na Europa, numa coleção de humor lançado em Itália. Até então só era conhecida na América Latina.

Traduzido no Mundo
Quino é o cartoonista mais traduzido da língua espanhola. Encontra-se em mais de trinta línguas, como o inglês, o português e até o japonês.

Mural para a posteridade
Em 2008, a cidade de Buenos Aires imortalizou-o com dois murais da personagem Mafalda na histórica Plaza de Mayo.
AVC Mafalda Mundo Mundo Clarin artes cultura e entretenimento questões sociais
Ver comentários