Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
8

Morte de Ricardo Reis chega ao grande ecrã

João Botelho adaptou obra de José Saramago sobre heterónimo de Fernando Pessoa.
Miguel Azevedo 30 de Setembro de 2020 às 08:14
Rui Morrison, Victoria Guerra e Chico Diaz em ‘O Ano da Morte de Ricardo Reis’, um filme a preto e branco
Rui Morrison, Victoria Guerra e Chico Diaz em ‘O Ano da Morte de Ricardo Reis’, um filme a preto e branco FOTO: Direitos Reservados
Estamos em 1936, o ano de todos os perigos, do fascismo de Mussolini, do nazismo de Hitler, da terrível guerra civil espanhola e do Estado Novo de Salazar. Fernando Pessoa, o criador, encontra Ricardo Reis, a criatura. Duas mulheres, Lídia e Marcenda, são as paixões carnais e impossíveis de Ricardo Reis. José Saramago escreveu o romance em 1984. João Botelho leva-o agora ao grande ecrã.

A versão cinematográfica de ‘O Ano da Morte de Ricardo Reis’ chega amanhã às salas de cinema de todo o País, depois de antestreias no Teatro Nacional São João, Porto, e no Centro Cultural de Belém, Lisboa. A ação decorre na capital, no ano em que o médico Ricardo Reis regressa do auto-exílio de mais de 16 anos no Brasil e reencontra então Fernando Pessoa. Filmado a preto e branco, o filme marca o regresso do realizador ao universo do poeta dos heterónimos que o acompanha há vários anos e, tal como o livro, a produção reconstitui os nove meses que se seguiram à morte de Fernando Pessoa (1888-1935).

Com o ator brasileiro Chico Diaz no papel de Ricardo Reis, e o ator português Luís Lima Barreto como Fernando Pessoa, o filme conta ainda com Catarina Wallenstein e Victoria Guerra no elenco.

pormenores
Investimento
A adaptação do filme teve um custo de 1,5 milhões de euros, e contou, entre outros, com o apoio do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA).

Estreia Internacional
A estreia internacional acontecerá no Festival de Sevilha, Espanha, estando também já marcada a sua participação na Mostra de Cinema de São Paulo.

Exposição
Está patente no CCB, Lisboa, uma exposição com os materiais gráficos do filme e com o material utilizado por Saramago nas pesquisas para o romance.
Ver comentários