Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
5

O herói que quis ser preso em Auschwitz

No dia em que se comemora o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto chega a Portugal o livro ‘O Voluntário de Auschwitz’. Saiba mais sobre a obra e leia os primeiros capítulos do livro no Correio da Manhã.
27 de Janeiro de 2014 às 20:23
Relato do homem que quis ir para campo de concentração em português

Há exatamente 69 anos, no dia 27 de fevereiro de 1945, os soviéticos libertaram Auschwitz, o local mortífero onde milhões de judeus sofreram durante o Holocausto. Hoje, a data é relembrada como o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto e, este ano, tem um significado especial para quem fala português.

Esta segunda-feira chega a Portugal ‘O Voluntário de Auschwitz’, o livro com o relato de Witold Pilecki, o único homem conhecido que se deixou prender para saber mais sobre o campo de concentração alemão e ajudar os prisioneiros a resistir à morte (pode ler os primeiros capítulos clicando no PDF que está neste texto).

Considerado pela imprensa internacional como “um documento histórico e fundamental” e “uma obra repleta de revelações extraordinárias”, ‘O Voluntário de Auschwitz: O herói que se deixou capturar para contar ao Mundo a terrível verdade sobre os campos de concentração nazis’ relata as condições de vida desumanas dos prisioneiros, as ações terríveis dos militares alemães e as estratégias de fuga.

O autor da obra, o oficial de cavalaria polaco Witold Pilecki, já morreu, em 1948, mas sobreviveu à tortura do campo de concentração e contou a história. No livro, agora traduzido para português, Witold Pilecki explica como lutou pela vida, suportando três anos de fome, doença e brutalidade.


(Capa do livro 'O Voluntário de Auschwitz')

‘O VOLUNTÁRIO DE AUSCHWITZ’ NO CINEMA EM 2015

O sucesso do livro em todo o Mundo já levou os produtores do filme ‘World War Z’, Samuel V. Franco e David Aaron Gray, a garantir que ‘vai chegar às salas de cinema no próximo ano. Já são vários os que acreditam que o filme vai ter tanto ou mais impacto do que ‘A Lista de Schindler’, que conta a história de um empresário alemão que salvou a vida a mais de 1.000 judeus durante o Holocausto.

“Não me lembro de nenhum indivíduo que seja mais merecedor de uma longa metragem. A bravura deste homem representa um dos maiores exemplos de humanidade”, justificou David Aaron Gray.

CLIQUE NA IMAGEM E VEJA ALGUMAS DAS FOTOS
QUE PODE ENCONTRAR NO LIVRO

Ver comentários