Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

Pacífico é palco de nova batalha nos cinemas

Sequela de filme de Guillermo del Toro chega hoje às salas.
Duarte Faria 4 de Abril de 2018 às 08:37
Efeitos especiais são aposta forte de ‘Batalha do Pacífico: A Revolta’, que traz John Boyega como protagonista
Guillermo del Toro vence 'Melhor Realizador' por 'A Forma da Água'
Guillermo del Toro
Guillermo del Toro
Efeitos especiais são aposta forte de ‘Batalha do Pacífico: A Revolta’, que traz John Boyega como protagonista
Guillermo del Toro vence 'Melhor Realizador' por 'A Forma da Água'
Guillermo del Toro
Guillermo del Toro
Efeitos especiais são aposta forte de ‘Batalha do Pacífico: A Revolta’, que traz John Boyega como protagonista
Guillermo del Toro vence 'Melhor Realizador' por 'A Forma da Água'
Guillermo del Toro
Guillermo del Toro
Em 2013, Guillermo del Toro (vencedor do Óscar de Melhor Realizador este ano) deu a conhecer enormes seres, de nome ‘kaiju’, que emergiram das profundezas do Pacífico para ameaçar o futuro da humanidade. Mas os seres humanos criaram máquinas de guerra aptas a uma luta corpo a corpo: os ‘jaegar’, robôs colossais comandados por pilotos neurologicamente conectados.

Dez anos depois da invasão da ‘Batalha do Pacífico’, a humanidade tenta sobreviver num mundo quase totalmente destruído pelo constante conflito entre os ‘kaiju’ e os ‘jaegar’. E é esse o mote para a sequela do filme do cineasta mexicano, que chega amanhã às salas de cinema nacionais.

Desta vez é o norte-americano Steven S. DeKnight - até aqui apenas dedicado às séries de TV - que assume a realização de ‘Batalha do Pacífico: A Revolta’. No papel do rebelde Jake Pentecost, um outrora promissor piloto ‘jaeger’ cujo lendário pai deu a vida para garantir a vitória da humanidade, John Boyega - a nova estrela dos filmes ‘Star Wars’ - assume agora o protagonismo na saga.

A seu lado está, no entanto, um elenco de atores pouco conhecidos, e que assim devem permanecer depois deste projeto, onde máquinas e efeitos especiais são as verdadeiras estrelas.

Com um orçamento de pouco mais de 120 milhões de euros, a crítica tem estado dividida quanto à qualidade da obra. Certo é que, desde que estreou no mercado internacional, há duas semanas, já rendeu 190 milhões em receitas de bilheteira.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)