Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

“Saramago está mais atual do que nunca”, diz João Botelho

Realizador está a rodar ‘O Ano da Morte de Ricardo Reis’ e deverá estrear a obra no ano que vem.
Ana Maria Ribeiro 10 de Abril de 2019 às 01:30
João Botelho gosta de passar a grande literatura portuguesa ao ecrã
‘Os Maias’, de Eça de Queirós, foi  um dos seus êxitos
‘Peregrinação’ estreou em 2017
João Botelho gosta de passar a grande literatura portuguesa ao ecrã
‘Os Maias’, de Eça de Queirós, foi  um dos seus êxitos
‘Peregrinação’ estreou em 2017
João Botelho gosta de passar a grande literatura portuguesa ao ecrã
‘Os Maias’, de Eça de Queirós, foi  um dos seus êxitos
‘Peregrinação’ estreou em 2017
João Botelho já fez filmes a partir de obras de Eça de Queirós (‘Os Maias’), Fernão Mendes Pinto (‘Peregrinação’) e Agustina Bessa-Luís (‘A Corte do Norte’). Agora decidiu levar ao grande ecrã ‘O Ano da Morte de Ricardo Reis’, que José Saramago escreveu em 1984 para contar a história da ascensão do fascismo em Portugal e na Europa.

Além da atualidade – "maior do que nunca" – do texto, o realizador diz que começou a sonhar com este projeto "há cerca de ano e meio" e que o livro do Nobel português é "um dos grandes romances" da nossa língua.

‘O Ano da Morte de Ricardo Reis’ acompanha as aventuras de um dos heterónimos mais famosos de Fernando Pessoa – o médico monárquico Ricardo Reis – pelas ruas de Lisboa, entre os anos 1935 e 1936, altura em que na capital se assiste à escolha das cores do fascismo português num comício no Campo Pequeno, com o povo a aplaudir em êxtase.

O papel de Ricardo Reis foi entregue ao ator brasileiro Chico Díaz e o de Fernando Pessoa ao português Luís Lima Barreto. No elenco estão ainda atores como Victoria Guerra, Catarina Wallenstein e Rui Morisson.

PORMENORES
Do ecrã para a TV
O filme de João Botelho vai dar origem a uma série de televisão com cinco episódios programados. Passará na RTP 1.

Dois milhões

‘O Ano da Morte de Ricardo Reis’ tem um orçamento de dois milhões de euros e chega às salas de cinema em 2020.

Cenas em Lisboa
As rodagens do novo filme de João Botelho vão decorrer até ao final de maio, sendo grande parte do filme rodado em Lisboa.
Ver comentários