Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

UM CLEMENTE DE FÉ

O cantor setubalense Clemente apresenta esta noite (21h30) no Forum Luísa Todi, em Setúbal, o seu novo disco, intitulado “Se Deus Não Existisse”, gravado em colaboração com a Cáritas Diocesana daquela cidade.
22 de Março de 2003 às 00:00
Habitualmente conhecido como um cantor de música ligeira e romântica, Clemente surpreende neste trabalho, ao qual imprime uma forte mensagem religiosa, tal como o título o denuncia.

Clemente justificou a escolha de lançar um disco de música religiosa como uma forma de demonstrar a sua crença na fé cristã, uma faceta que sempre esteve presente na sua vida. “Nunca deixei de ser cristão, a minha fé sempre existiu”, afirmou o popular cantor ao Correio da Manhã, justificando a vertente do seu novo trabalho.

Com efeito, foi à fé que Clemente recorreu quando, recentemente, passou por um período complicado, que o cantor classificou como “uma forte tempestade que se abateu sobre a minha vida”. O cancro de pele que lhe foi diagnosticado há quatro anos chegou a retirar a esperança até aos médicos, que não lhe deram mais do que quatro ou cinco meses de vida.

“Eu que sou um amante do sol e da praia...Tudo começou com um sinal na pele que foi aumentando. É daquelas coisas que pensamos que só acontecem aos outros, mas não é bem assim”, afirmou o artista.

Tendo recuperado de forma notável, Clemente aproveitou este facto para amadurecer uma ideia que desde há muito alimentava, ou seja, o de gravar um disco de canções religiosas. Um “disco alegre, uma mensagem de esperança e de fé”, como aponta o seu autor, que revelou ainda que pretende apresentar “Se Deus Não Existisse” em outros palcos nacionais.

De referir que o disco não tem fins lucrativos, sendo que todas as receitas reverterão para entidades de apoio social , tal como a Cáritas de Setúbal à qual o cantor se associou.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)