Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Águia "mais forte após tempestade", diz Jorge Jesus apesar das baixas no Benfica devido à Covid-19

Jesus viu subir para dez os casos de infeção no plantel (Odysseas e Everton deram positivo).
Filipe António Ferreira 25 de Janeiro de 2021 às 08:45
Jorge Jesus
Jorge Jesus FOTO: Luis Manuel Neves
Odysseas e Everton são as mais recentes baixas do Benfica devido à Covid-19. Jorge Jesus, apesar de se sentir “impotente” com a situação, garante: “Passando a tempestade, será difícil segurar o Benfica. Quando a ultrapassarmos vamos ficar muito fortes.”

O técnico das águias admitiu que nunca imaginou ter de lidar com estas circunstâncias. “Temos de trabalhar com os jogadores que temos, acreditamos nas qualidades de todos eles. Dez são muitos jogadores, incluindo a minha equipa técnica, mas estamos confiantes.

Os jogadores que jogarem têm de dar o melhor, por eles e pelos colegas que estão em casa. Esperamos que o Benfica consiga, dentro do possível, com uma equipa que não tem jogado tanto, manter o ritmo competitivo de forma que a equipa possa corresponder às dificuldades que o Nacional possa colocar”, disse o técnico na antevisão do jogo desta segunda-feira (17h00) na Luz.

Sobre se considera que o futebol devia parar quando os números da pandemia continuam a aumentar, Jesus foi perentório: “Se eu tivesse a certeza de que o futebol parava e a partir daí a pandemia ficava controlada, devíamos parar já. Mas não é pelo facto de o futebol estar em competição que tem havido tantos problemas de Covid.”

O número de jogadores infetados - dez ativos, mas 23 somando os já recuperados - fala por si e Jesus admite que nesse ponto o Benfica tem sido amplamente prejudicado pela pandemia, apesar de dizer que “não existem vencedores de inverno”. “Não tenho mais de metade do plantel. Trabalhamos alguns dias em grupos separados. As ideias que transportamos para a equipa não são iguais. Mas também há dias em que separamos os treinos por setores e isso pode favorecer-nos. Para trabalhar por setores é preciso ter uma equipa técnica que nos possa ajudar e para isso fomos buscar elementos à equipa B, que nos têm ajudado para criar as melhores condições de trabalho para a equipa”, salientou o técnico, garantindo que no futuro vai voltar a jogar num esquema de três defesas.

Confiança em Svilar
Jesus garantiu a titularidade de Svilar com o Nacional dadas as ausências dos infetados Odysseas e Helton. “Temos segurança total. Tenho a certeza absoluta de que não é por causa dele que as coisas [hoje] nos vão correr mal”.
Covid Jorge Jesus Benfica Covid-19 Odysseas Nacional Everton Svilar desporto futebol eventos desportivos
Ver comentários