Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Cristiano Ronaldo volta a liderar a Seleção

Técnico nacional diz que a melhor seleção de sempre foi a campeã de 2016.
Daniel Lopes Monteiro 22 de Março de 2019 às 01:30
Fernando Santos diz que Portugal é favorito porque joga em casa
Seleção portuguesa alvo de controlo antidoping surpresa
Seleção portuguesa alvo de controlo antidoping surpresa
Dyego Sousa no treino da Seleção Nacional
Dyego Sousa no treino da Seleção Nacional
André Silva no treino da Seleção Nacional
Fernando Santos diz que Portugal é favorito porque joga em casa
Seleção portuguesa alvo de controlo antidoping surpresa
Seleção portuguesa alvo de controlo antidoping surpresa
Dyego Sousa no treino da Seleção Nacional
Dyego Sousa no treino da Seleção Nacional
André Silva no treino da Seleção Nacional
Fernando Santos diz que Portugal é favorito porque joga em casa
Seleção portuguesa alvo de controlo antidoping surpresa
Seleção portuguesa alvo de controlo antidoping surpresa
Dyego Sousa no treino da Seleção Nacional
Dyego Sousa no treino da Seleção Nacional
André Silva no treino da Seleção Nacional
"Acredito que vamos vencer. Não tenho vergonha em assumir Portugal como favorito, jogando em casa. Mas uma coisa é ser favorito, outra coisa é não saber que do lado de lá também há uma equipa candidata a ganhar", disse Fernando Santos, na antevisão do embate diante da Ucrânia (esta sexta-feira, 19h45), no Estádio da Luz, e que marca o arranque da fase de qualificação (Grupo B) para o Campeonato da Europa 2020.

O selecionador nacional alertou, depois, para o valor do adversário. "Basta ver as declarações deles, todos acreditam e jogam em clubes de nomeada", afirmou, demonstrando ter a lição bem estudada.

"É um adversário de grandíssima qualidade, equipa tecnicamente muito evoluída, jogadores rápidos. Equipa de posse, que gosta de ter bola, consolidada nos processos do Shakhtar, o grande abastecedor desta seleção, com um treinador [Paulo Fonseca] que conhecemos bem. Sabemos bem as características deles", realçou.

Questionado também sobre se o grupo de jogadores que tem à sua disposição é o melhor de sempre, o técnico, de 64 anos, considerou tratar-se de uma ideia "exagerada" e relembrou a conquista do Campeonato da Europa de 2016, que se realizou em França.

"Portugal sempre teve jogadores de enorme qualidade, é campeão da Europa e não podemos esquecer-nos disso. Portugal tem tido ao longo da história enormes jogadores. Dizer que este é o grupo mais forte de todos é claramente exagerado. Tem qualidade e para além destes jogadores há mais 10 ou 15 que podem jogar aqui. Mas os melhores de todos são os que ganham. Portanto, o melhor grupo de todos foi o que foi campeão da Europa", frisou, levantando a ‘cortina’ sobre a fórmula de sucesso.

"Portugal não vai mudar a forma de jogar. Sempre jogou em 4x4x2 de forma mais híbrida do que clássica", destacou.

Na segunda-feira, também no Estádio da Luz, Portugal defronta a Sérvia.

Pepe abordou a relação com ‘rival’ João Félix
Na antevisão ao jogo com a Ucrânia, Pepe falou da relação com João Félix e afastou qualquer polémica com o jovem, com quem travou um intenso duelo no embate entre FC Porto-Benfica.

"É muito simples: ele defende o clube dele e eu defendo o meu. Aqui defendemos o País, somos companheiros, não há nada de polémicas e especulações. Estamos na Seleção e iremos dar o nosso melhor para honrar o País e dar alegria aos portugueses", afirmou o central.

Controlo antidoping surpresa
Um controlo antidoping atrasou o treino de ontem no Estádio da Luz, o último de preparação para o confronto com a Ucrânia.

O treino estava marcado para as 11h00, mas começou com largos minutos de atraso, para que os jogadores em questão fossem submetidos aos respetivos controlos. Gonçalo Guedes esteve novamente ausente devido a febre.
Ver comentários