Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Dakar 2014: a hora dos portugueses

Paulo Gonçalves, Ruben Faria e Hélder Rodrigues são fortes candidatos ao primeiro lugar na categoria de motos
5 de Janeiro de 2014 às 10:31
Dakar 2014: a hora dos portugueses
Dakar 2014: a hora dos portugueses

Os portugueses têm uma hipótese real de discutir a vitória ao nível das motos na edição de 2014 do Rali Dakar, que começa este domingo na Argentina. A KTM de Ruben Faria é a favorita: garantiu 12 triunfos consecutivos. O francês Cyril Despres quer igualar o recorde de seis triunfos de Stéphane Peterhansel, mas trocou a KTM pela Yamaha e o valor da sua nova moto é uma incógnita. Ruben Faria, 2.º classificado em 2013, pode tirar partido desta situação para discutir a liderança com Marc Coma.

A Honda apostou forte e "construiu uma moto totalmente nova", reconheceu Hélder Rodrigues, o campeão do Mundo em 2012 e chefe de fila da equipa japonesa, que também integra Paulo Gonçalves, o seu sucessor na conquista no Mundial de Todo-o-Terreno. Qualquer destes portugueses tem ambições de discutir a vitória, mas há mais pilotos nacionais à partida. Mário Patrão alinha com uma Suzuki e procura um lugar entre os 20 primeiros; Vítor Oliveira e Bianchi Prata utilizam Husqvarnas desenvolvidas em Portugal e Pedro Oliveira inscreveu uma SpeedBrain.

"A passagem pela Bolívia é um grande desafio", admitiu Hélder Rodrigues. "É um terreno desconhecido, disputado em altitudes superiores a quatro mil metros." As motos (e só elas) vão para lá das fronteiras do Chile e da Argentina, num percurso que difere em cerca de 40 por cento do efetuado pelos automóveis e camiões. Serão 8734 quilómetros, dos quais 5228 percorridos ao cronómetro.

BUGGY DE CARLOS SAINZ CONTRA OS MINI

Os Mini da x-Raid são favoritos na corrida dos automóveis. A fiabilidade e a experiência de Stéphane Peterhansel e Nasser Al Attyiah são trunfos. Mas ninguém pode esquecer o Buggy que Philippe Gache fez para Carlos Sainz. Este carro tem um curso de suspensão maior, o que lhe dá vantagem no mau piso. Nas dunas não tem a ajuda da tração total, mas pode utilizar pneus mais largos e um sistema que permite encher ou vazá-los em andamento, e isso faz diferença.

Depois surgem as pick-up tradicionais, como a Toyota do sul-africano De Villiers, um piloto que gosta de causar surpresas. Carlos Sousa regressa com o SUV chinês da Great Wall, um carro com ambições reduzidas. O top ten já seria um grande resultado para o português. 

Ver comentários