Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Fernando Santos sobre jogo contra França: "Defender com 11 e atacar com 11"

Portugal apura-se para a Final Four em caso de vitória e fica afastado se perder.
Rafael Soares 14 de Novembro de 2020 às 09:54
Fernando Santos
Fernando Santos FOTO: Lusa
A conta até é bem simples. O vencedor do jogo deste sábado entre Portugal e França, na Luz, segue para a Final Four da Liga das Nações e quem perder fica pelo caminho. Só um empate adiaria a decisão para a última jornada. Fernando Santos não quer esse resultado. Por isso, a identidade da seleção nacional é para manter.

“É uma final, é para ganhar. Pode não ser uma final absoluta, mas é um jogo decisivo no caso de vitória de uma das equipas. Queremos puxar a balança para o nosso lado. Espero uma grande partida com duas equipas que vão jogar para ganhar. Vai haver respeito, mas sem subserviência”, disse esta sexta-feira o selecionador nacional, que pede foco. “É preciso concentração e não fugir às características próprias de uma equipa que pretende defender com 11 e atacar com 11”, salientou.


A equipa das quinas está proibida de vacilar, o que o técnico apontou como um bom sinal: “Portugal e França já passaram por muitos jogos destes. Há muitos anos que temos jogos decisivos. Significa que temos uma das melhores seleções do Mundo. Mau era se não tivéssemos partidas destas.”

Por esse motivo, uma eventual ansiedade em torno deste encontro não é tema de discussão. Ela está sempre presente e até é encarada como um fator positivo. “Não é uma ansiedade de estar aos tremeliques. É a de querer jogar, é um ato responsável. Desde que seja no bom sentido, ter alguma ansiedade não faz mal a ninguém”, confessa o treinador, de 66 anos, que levou Portugal a uma série de cinco jogos sem sofrer golos.

De resto, como já foi referido, um empate adia as contas, mas há cenários diferentes na equação. Portugal e França têm ambos dez pontos no Grupo 3 da Liga A, mas é o conjunto luso que lidera pela diferença de golos. A seleção nacional mantém o primeiro lugar com um empate a zeros, ou seja, o mesmo resultado que ocorreu no Stade de France. Já uma igualdade com outros números permite aos gauleses subirem ao topo, devido ao critério dos golos fora.

"Habituados à pressão"
“Já estamos habituado a jogos com alta pressão. Temos vários jogadores experientes e um treinador que diz exatamente aquilo que pretende”, analisou José Fonte. O central deve ser titular e deu a receita para o sucesso. “Temos as nossas armas. Há que ser mais fortes amanhã [sábado] na organização, na qualidade, agressividade e entreajuda”, frisou.

Mbappé está em dúvida
Kylian Mbappé ainda está em dúvida devido a problemas físicos. “Vamos avaliar e amanhã [sábado] tomaremos uma decisão”, afirmou o selecionador francês, Didier Deschamps. “Espero um jogo semelhante ao que aconteceu em França. Será muito tático com duas equipas muito fortes”, antecipou.
Ver comentários