Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Jesualdo Ferreira focado em resgatar confiança no novo projeto do Boavista

Ex-futebolista português é o novo treinador do Boavista até junho de 2022.
Lusa 14 de Dezembro de 2020 às 23:25
Jesualdo Ferreira
Jesualdo Ferreira FOTO: Getty Images
O treinador Jesualdo Ferreira desejou esta segunda-feira que o Boavista possa recuperar níveis de confiança sobre o renovado projeto desportivo implementado em 2020/21, na projeção da segunda passagem pelo clube da I Liga de futebol.

"Está lançado o desafio aos jogadores, aos próprios sócios, a mim e à minha equipa técnica, no sentido de podermos devolver a confiança com que o Boavista começou a época", apontou o técnico, numa nota publicada nas redes sociais do clube 'axadrezado'.

Jesualdo Ferreira foi hoje anunciado como novo treinador do Boavista até junho de 2022, quase uma semana depois da saída de Vasco Seabra, que deixou o comando interino a cargo do adjunto Jorge Couto e do treinador da equipa sub-23 Daniel Rosendo.

"A forma como as questões me foram postas, num momento que não é fácil, pela dificuldade que parece existir, motivaram-me ainda mais. É uma forma de paixão que terei durante um ano e meio de contrato, mas, acima de tudo, vim pela proposta de poder ajudar a devolver o Boavista a um futuro bem diferente dos últimos anos", explicou.

O técnico natural de Mirandela, de 74 anos, abandonou os brasileiros do Santos em agosto e já teve uma breve passagem pelo Bessa, no verão de 2006, quando assinou por dois anos e saiu em plena pré-época para render o holandês Co Adriaanse no FC Porto.

"Os adeptos não se esquecem da minha saída do Boavista como eu não esqueci. Vim com contrato por dois anos, trabalhei sete semanas no clube, as coisas foram tratadas entre os dois clubes e saí. A forma como fui tratado aqui deixou-me um rasto de simpatia e gratidão. Por isso, parte de mim disse que tinha de aceitar o convite", vincou.

Com 350 jogos orientados em 14 épocas no principal escalão, Jesualdo Ferreira vai fazer a estreia oficial pelas 'panteras' na visita ao Paços de Ferreira, sexto colocado, com 14 pontos, no domingo, às 15:00, no Estádio Capital do Móvel, em partida da 10.ª jornada.

"Foi pela forma como fui convidado que me convenceram que valia a pena voltar a um clube em que já estive, com a perspetiva de um projeto interessante, que tem para o Boavista, até pelo que foi a sua história, uma importância determinante", referiu o treinador, de 74 anos, que chegou acompanhado pelos novos adjuntos Rui Águas e Pedro Bouças.

O Boavista tem uma vitória, cinco empates e três derrotas em nove jornadas da I Liga e ocupa o 15.º posto, com os mesmos oito pontos de Farense (14.º) e Tondela (16.º), um acima de Portimonense (17.º) e Marítimo (18.º e último), ambos em zona de descida.

"O clube tem perspetivas boas em relação àquilo que pode fazer. As expectativas foram grandes, porque o modelo utilizado obriga a isso. Face ao momento atual, poder-se-á não acreditar, mas eu e toda a estrutura diretiva acredita que será possível avançar para melhores plataformas de rendimento", concluiu o experiente treinador.

Ao longo de quatro décadas, Manuel Jesualdo Ferreira treinou seis clubes estrangeiros e a seleção de Angola, conquistando os campeonatos do Egito e do Qatar, por Zamalek (2014/15) e Al-Saad (2018/19), respetivamente, logo após a última passagem pela I Liga.

Entre os 12 títulos ganhos pelo 'professor', como é conhecido no futebol, constam ainda três campeonatos (2006/07 a 2008/09), duas Taças de Portugal (2008/09 e 2009/10) e uma Supertaça portuguesa (2009/10) nos quatro anos ao 'leme' do FC Porto.

Jesualdo Ferreira também treinou a seleção portuguesa de sub-21 e somou experiência em mais 10 clubes lusos, incluindo Benfica, Sporting e Sporting de Braga, além de ter sido adjunto dos 'encarnados' e dos franceses do Bordéus e coordenador técnico dos 'leões'.

FC Porto Manuel Jesualdo Ferreira Boavista I Liga Sporting desporto futebol
Ver comentários