Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Milhares de setubalenses na grande festa do Vitória

Do Viso ao Santos Nicolau, da Fonte Nova ao Faralhão e da Bela Vista ao Monte Belo. Dos bairros mais populares aos mais recentes o tema de todas as conversas foi o triunfo (3-2) do Vitória de Setúbal na final da Taça da Liga sobre o Sporting, no desempate por penáltis. O domingo de Páscoa teve um sabor especial para os setubalenses, que até à saída das igrejas, após as missas, abordaram a nova conquista da equipa.
24 de Março de 2008 às 00:30
Milhares de setubalenses  na grande festa do Vitória
Milhares de setubalenses na grande festa do Vitória
Antes disso, quase três anos após vencer a Taça de Portugal, os setubalenses saíram à rua para festejar até altas horas da madrugada a conquista de mais um troféu a juntar ao seu palmarés. Apesar de cerca de dez mil vitorianos terem rumado ao Algarve para assistir ‘in loco’ ao êxito na Taça da Liga, milhares saíram à rua para celebrar nas principais artérias da cidade e aguardar pela chegada dos novos heróis na praça de Bocage.
Às 02h50, hora em que a equipa saiu do autocarro para subir à varanda dos Paços do Concelho e mostrar o troféu a milhares de adeptos, os jogadores, numa perfeita simbiose com o público, prolongaram a euforia vivida durante as celebrações no Estádio.
Entre gritos de 'campeões, campeões' e 'ninguém pára o Vitória' não houve margem para dúvidas de que foram três os responsáveis pela solidificação do estatuto de heróis para os adeptos: o treinador Carlos Carvalhal, o guarda-redes Eduardo, que defendeu três dos cinco penáltis apontados pelo Sporting, e Pitbull, o homem do jogo.
Foi precisamente o brasileiro que levou ao rubro os adeptos ao afirmar: 'Vocês merecem tudo e não vamos ficar por aqui. Se Deus quiser vamos eliminar o FC Porto nas meias-finais da Taça de Portugal e ganhar mais um troféu.'
Depois de vinte minutos de festa na varanda dos Paços do Concelho, os atletas foram aconselhados a sair por uma das portas laterais para evitar alguns adeptos que estavam à entrada e se tinham excedido no contacto com os heróis. Pitbull saiu com o rosto magoado pelo troféu de melhor jogador em campo e outros colegas com as costas arranhadas.
Conforme prometera, o presidente Carlos Costa vai desembolsar cerca de 75 mil euros em prémios para recompensar em 2500 euros cada elemento do plantel. 'Seguramente estava à espera de termos de o fazer porque já previa esta vitória', afirmou o dirigente.
'NÃO VOU DESISTIR DA SELECÇÃO' (Eduardo, guarda-redes V. Setúbal)
Correio da Manhã – O que sentiu ao defender o penálti decisivo?
Eduardo – Uma enorme alegria e o sentimento de dever cumprido. Quis correr todo o estádio para agradecer a todos os que vieram de Setúbal e acreditaram em nós.
– Foi o herói do jogo. Pensa na selecção nacional?
– O meu objectivo é dignificar o meu clube. Não vou nem nunca irei criticar as opções do seleccionador nem de qualquer treinador.
– Acredita que pode estar no Euro’2008?
– É difícil, mas nunca vou baixar os braços e desistir da Selecção. Se entenderem que mereço essa oportunidade ficarei extremamente orgulhoso.
– Continuar em Setúbal está fora de questão?
– Tenho contrato com o Braga. O Vitória marcou já a minha vida e ficará para sempre no meu coração. Não pelo título, mas pelo carinho que tenho sentido de toda a gente em Setúbal. Quando sair fá-lo-ei com a certeza de tudo ter dado a este clube.
– O telemóvel não tem parado…
– No final do jogo tinha mais de 60 SMS. Ainda estou para saber quando é que poderei vê-los todos.
SEM LUGAR NO BRAGA À FAMA EM SETÚBAL
Chegou, viu e venceu. Eduardo dos Reis Carvalho, nascido em Mirandela há 25 anos, é um dos principais obreiros da excelente época que o Vitória de Setúbal está a realizar. Sem espaço no Sporting de Braga para se afirmar, muito por responsabilidade do internacional Paulo Santos, o guarda-redes, que já na última temporada fora emprestado ao Beira-Mar, encontrou em Setúbal um técnico que não hesitou em lhe dar a titularidade.
O guardião – que confidenciou ter tido algumas dificuldades em adormecer: 'Consegui dormir, mas estava um pouco ansioso' – actuou em todos os minutos do campeonato, Taça de Portugal e Taça da Liga, sendo um dos indiscutíveis na formação comandada por Carlos Carvalhal. Quem com ele trabalha considera-o perfeccionista.
O timoneiro dos sadinos confessou mesmo que 'é frequente após o final dos treinos Eduardo continuar na baliza para defender remates dos colegas'.
O trasmontano, que entre 2001/02 e 2006/07 alinhou quase sempre na equipa B do Braga, assume que 'detesta perder' nem que seja nas peladinhas durante os treinos. Depois de ficar irremediavelmente ligado à história da primeira edição da Taça da Liga, Eduardo, que renovou recentemente com o Sp. Braga até 2012, não esconde o desejo de, mais cedo ou mais tarde, envergar a camisola da selecção nacional portuguesa. Tem a palavra Scolari. – R.L.P. l
TRÊS PENÁLTIS DEFENDIDOS
Eduardo voou, defendeu três dos cinco penáltis do Sporting e ganhou o estatuto de herói da final da Taça da Liga. O melhor em campo nos 90’ foi Cláudio Pitbull.
PERFIL
Eduardo Reis da Silva nasceu há 25 anos (19/09/1982) em Mirandela. Formado no Sp. Braga, o guarda--redes está emprestado pelos bracarenses ao V. Setúbal. A Taça da Liga é o seu primeiro grande título.
BRASILEIROS FAZEM CHURRASCO
Os brasileiros do V. Setúbal que conquistaram a Taça da Liga juntaram-se ontem para comemorar com um grande... churrasco. Adalto, Elias, Léo Bomfim, Paulinho, Leandro e Kim juntaram a família e amigos e comemoraram à sua maneira a conquista de mais um troféu
Ver comentários