Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

“Não sou responsável por esta crise”: Jorge Jesus descarta culpa e defende Vieira e jogadores do Benfica

Técnico garante que não se vai demitir e que ainda acredita no projeto que o trouxe de regresso à Luz.
Filipe António Ferreira e S.C. 25 de Fevereiro de 2021 às 08:04
Jorge Jesus
Jorge Jesus
Jorge Jesus
Jorge Jesus
Jorge Jesus
Jorge Jesus
Jorge Jesus
Jorge Jesus
Jorge Jesus
"Chega de me responsabilizarem. Ao presidente a mesma coisa, porque ele não treina. E os jogadores a mesma coisa, porque muitos deles, ao fim do 13º dia, tive de os pôr a jogar. Não vou sair por pé nenhum, porque não me sinto responsável por esta crise. Nem eu, nem os meus jogadores, nem a estrutura”, disse quarta-feira Jorge Jesus na antevisão do jogo desta quinta-feira, em Atenas (casa emprestada do Arsenal), para a 2ª mão dos 16 avos de final da Liga Europa.

O técnico voltou a defender os jogadores, após o surto de Covid-19 que afetou o plantel e o staff. “A responsabilidade deles na crise é zero. Não deram mais porque não puderam”, disse Jesus, que fez um apelo: “Percebam o que estou a dizer, acarinhem os jogadores, a equipa, porque destes resultados nós não fomos culpados. Não teve a ver com incapacidade de trabalho. É para os adeptos que trabalhamos, que tentamos ser melhores, precisamos de apoio.”

Sobre o jogo com o Arsenal (Benfica está em desvantagem depois do 1-1 da 1ª mão), Jesus garantiu que a equipa vai estar ainda melhor e acredita na passagem: “Vamos melhorar, porque os sinais do jogo com o Arsenal – não estou a dizer técnica e taticamente - em capacidade física já deram isso. Não tínhamos aquela intensidade nem no treino, quanto mais no jogo. É sinal que equipa vai melhorar. Psicologicamente marcou, são muitos pontos em relação ao primeiro, mas há ainda muita coisa para ganhar. Arsenal? As expectativas são as melhores.”

Jesus admitiu ainda que não está totalmente feliz na Luz e exaltou-se. “Vim para o Benfica para ser campeão, para poder trabalhar normalmente com os meus jogadores e fui impedido. Por alguém? Não! Por uma pandemia. Portanto, não me sinto feliz, pelo contrário. Todos os dias a ‘levar’ com isto na TV e nos jornais. Posso sentir-me feliz? Ninguém vê a verdade?”, salientou, criticando as notícias de que estaria muito perto de deixar a Luz devido aos maus resultados.

"Ninguém imagina o que passámos"
"Foi uma fase muito difícil para todos, ninguém pode imaginar o que passámos aqui. Amanhã [hoje] há que passar a eliminatória e tentar dar uma alegria aos adeptos porque eles merecem, nós merecemos", disse ontem Pizzi em conferência de imprensa.

O capitão falou sobre o regresso após a infeção pelo novo coronavírus: "Só quem passa pela Covid-19 é que pode avaliar esta situação. Quando voltei não me sentia o mesmo: tinha dificuldades em recuperar, sentia-me mais cansado." Pizzi afirmou ainda que o grupo está unido e que está ao lado de Jesus, ao contrário do que tem sido noticiado nos últimos dias: " É tudo mentira."

"No futebol tudo pode acontecer"
"No futebol, tudo pode acontecer, mas sempre com trabalho e não com milagres", afirmou ontem Carlos Carvalhal. O técnico do Sp. Braga sabe que a fé move montanhas e não se cansou de dizer aos jogadores que o futebol está cheio de exemplos em que se dá a volta aos resultados mais adversos. No entanto, a missão desta noite, frente à equipa de Paulo Fonseca, é de "extrema dificuldade", já que os dois golos sofridos em casa obrigam a marcar três no terreno da Roma.
Liga Europa quarta-feira Jorge Jesus Vieira Atenas Benfica Arsenal Luz desporto futebol eventos desportivos
Ver comentários