Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Presidente do Vitória de Setúbal foi acusado por crimes de dano qualificado

Paulo Rodrigues causou prejuízo de 9842 euros no Estádio do Bonfim.
Ricardo L. Pereira 23 de Novembro de 2020 às 08:42
Paulo Rodrigues tem estado envolvido num conflito com a Câmara de Setúbal
Paulo Rodrigues tem estado envolvido num conflito com a Câmara de Setúbal FOTO: Rui Minderico
Antes de ter sido eleito presidente do V. Setúbal no passado dia 18 outubro, Paulo Rodrigues tinha sido notícia, em abril de 2019, por ter entrado no Estádio do Bonfim e destruído património do clube. O agora líder dos sadinos ficou a saber através de despacho que foi acusado pelo Ministério Público por crimes de dano qualificado (no valor de 9842 euros em mobiliário e material informático) e introdução em lugar vedado.

Na altura, Paulo Rodrigues, que reivindicava uma verba de 645 mil euros à direção liderada por Vítor Hugo Valente, explicou o porquê da sua ação: “Só parti aquela m*** toda para não lhe partir os cornos.” Volvidos 19 meses sobre o incidente, o ex-empresário de jogadores é agora presidente do Vitória, mas pode perder o cargo a 2 de dezembro, dia em que os sócios decidem em assembleia-geral se destituem a direção presidida por Paulo Rodrigues.

A juntar a isto há a relação tensa com a presidente da câmara municipal, Maria das Dores Meira, que já assumiu publicamente que Paulo Rodrigues “maltrata e mente aos funcionários do Vitória”. A autarquia toma posse do Estádio do Bonfim amanhã, às 14h00.
Paulo Rodrigues Estádio do Bonfim Ministério Público Vitória desporto futebol
Ver comentários