Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Sérgio Conceição procura triunfo inédito para FC Porto

“Nunca vencemos em Inglaterra? Estou convicto de que vamos fazer tudo para contrariar isso”, afirmou treinador dos dragões.
Ricardo Tavares 21 de Outubro de 2020 às 08:35
Sérgio Conceição perdeu o espaço de manobra após derrota
Sérgio Conceição perdeu o espaço de manobra após derrota FOTO: José Gageiro/Movephoto
Sérgio Conceição é muito claro na definição do objetivo para o jogo desta noite do FC Porto com o Manchester City – alcançar um triunfo inédito.

“O FC Porto nunca ganhou em Inglaterra? Estou convicto de que vamos fazer tudo para contrariar isso. Tenho muito respeito pelo adversário, pelo que é nos últimos anos, principalmente com este treinador, mas a nós cabe-nos fazer o trabalho para tentar contrariar essa estatística tão negativa. Como sabem, não gosto de falar de estatísticas. Cada jogo tem vida própria, não vale a pena lembrar o passado. No fundo, passa por preparar da melhor forma os jogadores a todos os níveis e tentar ganhar”, sublinhou o treinador dos dragões no lançamento da partida com os ‘citizens’.

O facto de Bernardo Silva, Rúben Dias e João Cancelo jogarem no Manchester City não influenciará a estratégia dos portistas.

“Hoje em dia a informação é tanta e de tanta qualidade sobre todos os jogadores que não há influência positiva, nem negativa. Os jogadores portugueses têm qualidade, aprecio as suas qualidades, mas são jogadores adversários, não mais do que isso”, afirmou o técnico dos campeões portugueses, adiantando que não encarou a preparação para o encontro de Manchester de forma diferente: “Em termos mediáticos é normal que haja mais atenção das pessoas, mas o nosso sentimento e vontade de ganhar é enorme e vamos trabalhar ao máximo para vencer. O espírito está igual”.

Conceição relembrou o clássico e Alvalade para revelar que não disse nada de mais relativamente ao desempenho de alguns jogadores: “Acho que todos percebem e conhecem a exigência do FC Porto, que define o clube e a mim como treinador”.

Por isso, não causa estranheza o que referiu, em entrevista, ao site da UEFA: “A base tem de ser trabalho, trabalho, trabalho. Trabalhando dentro daquilo que é esse talento. Acho que com 11 Messis na mesma equipa não ganharia nada, ou 11 Cristianos Ronaldos. Tem de haver um misto”.

Rúben Dias: "Não há rivalidade entre mim e o FC Porto"
“É apenas mais um jogo, mais um adversário e o foco é ganhar e ser o melhor, nada mais do que isso. Não há nenhuma rivalidade entre mim e o FC Porto. É uma equipa forte, sabe o que fazer em campo, é boa nas bolas paradas. Temos de estar atentos, porque vamos ter um jogo difícil pela frente e temos de estar fortes”, afirmou esta terça-feira Rúben Dias, defesa-central do Manchester City, na antevisão do jogo desta quarta-feira com os dragões.

O central luso não esconde a felicidade por integrar uma equipa que disputa a Liga dos Campeões. “Essa foi, aliás, uma das razões para ter vindo”, disse, lembrando que “a forma como o clube joga para ganhar, especialmente nesta competição”, também pesou na decisão de se mudar da Luz para Manchester.

O ex-benfiquista reconhece que a pressão a que, agora, está sujeito é maior: “Sempre joguei para ganhar no Benfica e o objetivo, aqui, é o mesmo. O contexto é diferente, o nível de pressão em mim é mais alto, mas foi por isso que também vim. Tive pressão quando cheguei à primeira equipa do Benfica, quando fui à Seleção. E tenho agora. Quanto mais alto se chega, mais pressão há”.

Ver comentários