Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Supremo condena Sp. Braga a 798 mil euros

Clube tem de pagar a ex-diretor da sala, despedido em 2008.
Secundino Cunha 29 de Outubro de 2020 às 08:35
Estádio Municipal de Braga
Estádio Municipal de Braga FOTO: José Reis / Movephoto
Após quatro recursos, o Supremo Tribunal de Justiça condenou o Sp. Braga a pagar uma indemnização de 648 mil euros (798 mil com juros) a Sebastião Campos, diretor do Bingo do clube, despedido em 2008, aquando do encerramento da sala. O clube já apresentou queixa contra Campos, por burla qualificada e falsificação de documentos, pelo que o assunto terá de ser decidido pelo Tribunal Constitucional.

Aquando do despedimento coletivo dos trabalhadores do Bingo, Sebastião Campos rejeitou qualquer acordo e, em tribunal, exigiu uma indemnização de cerca de dois milhões de euros, alegando que o seu vencimento mensal rondava os seis mil euros.

O Sp. Braga contestou, referindo que o vencimento do diretor da sala do bingo era de 1500 euros mensais, uma vez que, como técnico de contas, exercia funções noutras empresas. Diz ainda o clube que, de facto, o diretor do Bingo ganhou, ao longo de muitos anos, valores na ordem dos seis mil euros por mês, mas de forma indevida e assente em documentos falsificados.

No último recurso, o Supremo calculou a indemnização a pagar a Sebastião Campos em 648 mil euros e não nos dois milhões inicialmente pretendidos. Só que o Sp. Braga alega agora que essa verba é inferior àquela que o ex-diretor do Bingo tem de repor, uma vez que durante anos auferiu “muito mais” do que o que lhe era devido.

Agora, é necessário esperar pelo desenrolar da queixa-crime apresentada pelo clube contra Sebastião Campos e, mais tarde, por uma decisão do Tribunal Constitucional.
Ver comentários