Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

"Se as pernas corresponderem, vou atacar": João Almeida promete lutar até ao fim no Giro de Itália

Português diz ao CM que está “cansado”, mas frisa que não desiste de voltar a vestir a rosa.
Luís Oliveira e Octávio Lopes 24 de Outubro de 2020 às 09:47
FOTO: Tim de Waele/Getty Images
"Estou um bocado cansado, mas amanhã [este sábado] vou atacar. Se as pernas corresponderem, vou atacar”, disse esta sexta-feira à noite João Almeida ao CM.

Em seguida, pediu desculpa por não poder prestar mais declarações. “Vamos começar a jantar e depois é só descansar”, justificou o ciclista de 22 anos, da Deceuninck Quick Step, que vestiu a camisola rosa durante 15 etapas consecutivas - perdeu-a na quinta feira para Wilko Kelderman (Sunweb), na jornada que passou pelo ‘inferno’ do Stelvio (2758 metros de altitude)

Hoje, o pelotão da Volta a Itália vai percorrer a penúltima etapa:Alba-Sestriere, 190 km, com uma subida tripla ao alto de Sestriere (2041 metros de altitude). Se ganhar algum tempo nesta tirada, João Almeida, que está em 5º na geral, a 2m16 de Kelerman, volta a entrar no lote dos ciclistas que podem ganhar o Giro, já que é um dos favoritos no contrarrelógio que fecha a prova: 15,7 km, em Milão (amanhã).

A tirada de sexta-feira era para ter 258 quilómetros mas a organização, a pedido dos ciclistas, decidiu encurtá-la para 124 km, devido às más condições climatéricas: chuva, neve, vento e frio. O checo Josef Cerny (CCC) acabou por vencer isolado, fazendo a ligação entre Abbiaregrasso e Asti em 2h30m40s.

João Almeida chegou à meta integrado no pelotão, na 18ª posição, a 11m43s de Cerny. Rúben Guerreiro (Education First), vencedor virtual do prémio da montanha (basta que acabe a prova), terminou a tirada em 82º, com o mesmo tempo do compatriota.
João Almeida Josef Cerny desporto ciclismo
Ver comentários