Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Sporting vence em Paços de Ferreira

Leões constroem vitória tranquila com golos de Gonçalo Inácio e de Pote, num jogo em que dominaram sempre.
Mário Figueiredo 8 de Novembro de 2021 às 09:00
Paulinho lança mais uma jogada de ataque da equipa do Sporting
Paulinho lança mais uma jogada de ataque da equipa do Sporting FOTO: José Gageiro / Movephoto
O Sporting conseguiu este domingo uma vitória sem espinhas sobre o P. Ferreira, por 2-0, com o primeiro golo a ser obtido na sequência de um canto por Gonçalo Inácio.

Rúben Amorim procedeu a apenas duas alterações face ao onze que goleou o Besiktas, por 4-0. Uma, por necessidade, pois Porro está lesionado e deu lugar a Esgaio, e a outra por opção, ao tirar Feddal e colocar no seu lugar Matheus Reis como terceiro central, o que permitiu também colocar Nuno Santos no flanco esquerdo.

E o Sporting entrou em alta rotação. Com um futebol objetivo sempre com a baliza na mira. Os pacenses aguentavam-se como podiam e tentavam estar atentos nos cantos. E foi num desses lances que o Sporting criou a 1ª jogada de perigo, através de Coates.
Esgaio também se mostrou ativo na parte inicial. Tem uma ‘bomba’ à queima-roupa, mas André Ferreira defendeu.
Havia mais Sporting, mas os pacenses nunca abdicaram de atacar. João Pedro ainda atirou às malhas laterais após um atraso de Matheus Nunes que acabou nos pés errados. Antunes também dispôs de uma boa ocasião mas Matheus Reis cortou. O tridente ofensivo atacava com critério, mas sem pontaria.

Na etapa complementar, o leão manteve o ascendente. E o golo chegou de... canto (o quarto na Liga nesta época) num cabeceamento de Gonçalo Inácio.

O Sporting não levantou o pé e a entrada de Tabata agitou o jogo leonino. Criou dinâmicas e problemas à defesa adversária. E foi ele quem começou o lance do segundo golo, com um passe para o endiabrado Esgaio, que assistiu Pote no 2-0.
Os pacenses ainda esboçaram uma reação, mas revelaram grande desacerto na finalização. Os leões ainda viram um golo bem anulado a Coates, e Daniel Bragança falhou um chapéu que podia ter dado o 3-0. Um triunfo sem espinhas que deixa os leões no topo da tabela com os mesmos pontos do líder FC Porto (29 pontos).

Positivo e negativo
Pote e os... golos
Pote está de volta ao golos na Liga, depois de já ter marcado na Champions frente ao Besiktas. O melhor goleador da época passada está moralizado e este domingo fez o golo que trouxe tranquilidade à equipa.

Os golos e... Paulinho
O avançado do Sporting voltou a criar várias oportunidades de golo, mas acabou por falhar. Esforçou-se em prol da equipa e até defendeu, mas a equipa precisa dos seus golos e não é só na Champions. 

Arbitragem
Golo bem anulado
Arbitragem positiva de Luís Godinho. Golo bem anulado a Coates e bom ajuizamento dos lances de bola na mão nas áreas, uma de Ricardo Esgaio e outra de Luiz Carlos, ao mandar jogar.

Momentos do jogo
47’
Gonçalo Inácio faz o 1-0 de cabeça. Canto marcado ao segundo poste, Coates dá de cabeça para o meio, onde apareceu o jovem central a cabecear para o primeiro golo da partida.
69’
Pote faz o 2-0, numa jogada de envolvimento da equipa leonina. Tabata, acabadinho de entrar, deu para Esgaio, que cruzou para a área onde apareceu Pote a fazer a emenda.
76’
Coates marca um golo que acaba por ser bem anulado pelo árbitro. Nuno Santos, que fez a assistência, estava em posição irregular. Boa decisão da equipa de arbitragem.

"Segundo golo deixa-nos fora do jogo"
"A ideia era sermos uma equipa com capacidade pressionante muito forte. O segundo golo deixou-nos fora do jogo, a partir daí não gostei muito. Abrimos demasiados espaços. Não há muito mais a dizer, o Sporting foi melhor", disse Jorge Simão, treinador do P. Ferreira.

Esgaio foi à luta e esteve em todas
Adán
– Nunca foi posto à prova. Cumpriu.
Gonçalo Inácio – Está na senda de Coates e este domingo foi ele a marcar o primeiro golo na sequência de um canto.
Coates –
Está motivado e imparável. Não marcou, mas foi ele quem assistiu no golo. Imperial no jogo aéreo.
Matheus Reis –
Foi o terceiro central e cumpriu. Boas combinações com Nuno Santos a criarem desequilíbrios no ataque.
Palhinha –
Faz o trabalho chato no meio-campo. Recupera bolas, faz faltas com critério e passa despercebido.
Matheus Nunes –
Começou nervoso e tem um atraso comprometedor que podia ter dado golo. Concentrou-se e subiu de rendimento.
Nuno Santos –
Alta rotação no ataque. Esforça-se por defender também. Fez uma boa dupla com Matheus Reis. Tentou o golo, mas revelou falta de pontaria.
Pote –
Está de volta o goleador da época passada. Agitou o jogo leonino e acabou por fazer o 2-0.
Sarabia –
Mais apagado do que no último jogo.
Paulinho –
Criou várias oportunidades, mas voltou a ficar em branco.
Tabata –
Entrou e esteve na jogada do segundo golo.
Daniel Bragança –
Isolado, falhou um chapéu fácil...
Jovane –
Refrescou

"Não sofremos muito na parte final"
"Entrámos muito bem na primeira parte. Depois partiu-se o jogo, o que não era muito bom para nós. A meio da primeira parte, os jogadores da equipa do Paços de Ferreira tiveram algum espaço para sair em algumas jogadas nossas. Lembro-me de um atraso errado do Matheus Nunes, mas mantivemos sempre o controlo do jogo". Desta forma começou Rúben Amorim a análise à prestação da equipa do Sporting no jogo de domingo.

Sobre o golo que lançou a equipa para a vitória, na sequência de um pontapé de canto, acrescentou: "Mais uma bola parada bem trabalhada. Soubemos ter a bola, não sofremos muito na parte final como em outros jogos. Uma palavra para o Tabata, que entrou bem e acabou por ser decisivo."

O técnico falou ainda da série de oito vitórias seguidas: "Obviamente que isto nos dá algum conforto, mas também precisamos de descansar e mudar um bocadinho o chip. Lembrar que na última paragem vínhamos de uma derrota em Dortmund", finalizou Amorim.
Ver comentários