Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Benfica abate Gil Vicente e regressa à liderança da Liga

Águia regressou aos triunfos cinco jogos depois, diante de um Gil Vicente que merecia algo mais.
Filipe António Ferreira 25 de Fevereiro de 2020 às 01:30
Gil Vicente - Benfica
Gil Vicente - Benfica
Gil Vicente - Benfica
Gil Vicente - Benfica
Gil Vicente - Benfica
Gil Vicente - Benfica
Gil Vicente - Benfica
Gil Vicente - Benfica
Gil Vicente - Benfica
Cinco jogos depois, o Benfica regressou finalmente às vitórias, resultado que lhe permite regressar à liderança do campeonato. Um triunfo muito, muito difícil, perante um Gil Vicente que merecia pelo menos marcar.

Pressionado ou não, certo é que Bruno Lage colocou Samaris como titular e, coincidência ou não, o Benfica não sofreu golos. O Gil até que criou boas chances, mas Odysseas, manteve a baliza intacta, algo que não acontecia há sete jogos.
As águias entraram bem. Concentradas atrás e rápidas na frente. Pizzi teve uma boa hipótese logo a abrir, mas, depois de ter tirado Denis da frente, rematou ao lado. Aos 15’, o golo encarnado. Taarabt – esta segunda-feira com missões mais ofensivas – cruzou na perfeição para o goleador Carlos Vinícius fazer o 15º da época, no campeonato.

Mas o Gil Vicente não sentiu a desvantagem. Subiu linhas, sempre com Kraev no comando. Teve três boas oportunidades, mas Odysseas esteve insuperável. Foram 20 minutos de domínio gilista, com o Benfica a ver jogar.

Já depois da meia hora de jogo, Vinícius – sempre ele –viu um golo anulado por fora de jogo e a partir daí as águias equilibraram. Com outra paciência nos ataques, a equipa de Bruno Lage voltou a ter mais posse, o que permitia levar mais perigo à baliza da equipa de Barcelos.

A segunda parte começou a todo o gás, com o Gil Vicente a rematar para mais uma defesa de Odysseas. Resposta imediata das águias, com Vinícius quase a bisar. Num jogo intenso e de parada e resposta, voltaram a ser os gilistas a assustar, mas o grego esteve gigante na baliza, a remate de Baraye.

Vítor Oliveira mudou e a entrada de Hugo Vieira agitou ainda mais. Mas, aos 67’, o lance que podia ter dado origem ao golo do campeonato: Taarabt, após um trabalho fantástico, disparou com violência à barra.

Não marcou o Benfica e quase ia sofrendo. Hugo Vieira, em boa posição, permitiu nova defesa de Odysseas. Os encarnados acumulavam desgaste e ansiedade, errando muitos passes.

Já a terminar, Cervi ainda podia dilatar a vantagem, o que seria um castigo demasiado pesado para o bom jogo do Gil Vicente, que tinha vencido no seu estádio o FC Porto e o Sporting.

Um tónico importante para o Benfica, depois de três derrotas e um empate nos últimos quatro jogos. Segue-se, quinta-feira, o Shakhtar na 2ª mão dos 16 avos de final da Liga Europa. As águias precisam de anular a desvantagem de 1-2.

Bruno Lage: "manter o 1.º lugar"
"Sabíamos que era um campo difícil, em função dos resultados que o Gil Vicente tem feito em casa. Mas o mais importante foi vencer e manter o primeiro lugar da Liga". Foi desta forma que Bruno Lage, técnico do Benfica, abordou o jogo de ontem. "Entrámos bem, o Taarabt podia ter feito o 2-0 e estávamos tranquilos. Criámos várias oportunidades", referiu.

Odysseas segura a vantagem obtida por Carlos Vinícius
Odysseas - Um punhado de defesas garantiu ao Benfica segurar a vantagem obtida por Vinícius. Não foi exuberante, mas revelou-se extremamente eficaz na conquista de mais uma vitória.
Tomás Tavares – Alternou o bom com o mau. Bons cruzamentos para a área e um passe atrasado que quase isolou Sandro Lima.
Rúben Dias – Não complicou e foi eficaz. Perto do golo, num remate que deu canto.
Ferro – Alguns cortes arriscados, mas aguentou-se firme, apesar das críticas que tem recebido.
Grimaldo – Não subiu tanto como é habitual, privilegiando as ações defensivas. Mesmo assim, passou por apuros.
Weigl – Não deslumbrou, nem justificou a titularidade dada por Bruno Lage.
Samaris – Regressou ao onze e cumpriu. Foi o estanque da defesa. Trouxe músculo e pulmão.
Pizzi – Mais ativo do que nos últimos jogos. Iniciou a jogada do primeiro golo com um livre. Uma bomba (70’).
Rafa – Aparece e desaparece do jogo. Tem qualidade, mas pareceu desconcentrado.
Taarabt – Cruzou para o golo de Vinícius. Atirou uma bomba à trave.
Vinícius – Um golpe de cabeça que valeu golo e que desbloqueou o jogo. Decisivo.
Dyego Sousa – Segurou o jogo.
Cervi – Isolado, permitiu a defesa de Denis.
Chiquinho – Sem tempo.

ANÁLISE
+ Sempre no sítio certo
O avançado Vinícius é, sem dúvida alguma, uma das figuras deste campeonato. O goleador fez o 15º tento na Liga (19 na época) e trabalhou muito. Lutou até à exaustão, o que o deixa com problemas físicos para o jogo de quinta-feira.

- Eclipse de Rafa Silva
Muita correria e pouco discernimento. Está a anos-luz do Rafa que já foi herói em 2018/19 e já esta época. Teve uma série de últimos passes errados capazes de irritar o mais paciente dos adeptos. Merecia ter saído mais cedo do jogo.

Bem nos lances difíceis
Bem ao validar o 1-0 a Carlos Vinícius, aos 15’.Taarabt estava em fora de jogo, mas não interfere na jogada. Depois, o marroquino assiste o brasileiro. Aos 36’ anulou bem o golo a Carlos Vinícius, que estava em posição irregular no início do lance.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)