Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Benfica consegue o seu melhor arranque na I Liga em 38 anos

Encarnados selaram esta segunda-feira o melhor arranque na I Liga portuguesa de futebol em 38 anos, ao somar face ao Belenenses SAD (2-0) o quinto triunfo em cinco jornadas, algo que não conseguia desde 1982/83.
Lusa 26 de Outubro de 2020 às 22:40
Jorge Jesus
Jorge Jesus FOTO: Luís Manuel Neves
O Benfica 'selou' esta segunda-feira o melhor arranque na I Liga portuguesa de futebol em 38 anos, ao somar face ao Belenenses SAD (2-0) o quinto triunfo em cinco jornadas, algo que não conseguia desde 1982/83.

O suíço Haris Seferovic, aos seis minutos, e o uruguaio Darwin Núñez, aos 75, marcaram os golos do conjunto de Jorge Jesus, que passou a somar 15 marcados e três sofridos.

À 87.ª presença no campeonato, os 'encarnados' conseguiram apenas o nono registo perfeito após cinco jornadas, o que dá uma percentagem de 10,3%, e o primeiro desde a temporada de estreia do sueco Sven-Goran Eriksson.

Sob o comando do então jovem de 34 anos, um conjunto que tinha Bento, Pietra, Humberto Coelho, Bastos Lopes, Veloso, Shéu, Carlos Manuel, Alves, Chalana, Diamantino, Nené ou Filipovic só 'parou' nos 11 triunfos. À 12.ª ronda, empatou em Alcobaça (1-1).

Após essa época, o Benfica não tinha conseguido melhor do que quatro triunfos e uma igualdade a abrir o campeonato, o que aconteceu em 11 ocasiões, incluindo três na primeira passagem de Jorge Jesus (2009/10, 2011/12 e 2014/15) e outras tantas nas últimas quatro épocas (2016/17 a 2018/19).

Desta vez, as 'águias' fizeram melhor, já depois de terem 'selado' o melhor começo após quatro jornadas desde 2002/03, com triunfos em Famalicão (5-1), na receção a Moreirense (2-0) e Farense (2-3) e no reduto do Rio Ave (3-0).

As 'águias' igualaram, assim, 1936/37, 1942/43, 1951/52, 1960/61, 1963/64, 1972/73, 1980/81 e 1982/83, sendo que, dessas oito épocas, acabaram campeãs em sete, falhando apenas em 1951/52, ao terminarem em segundo, a um ponto do Sporting.

Nas outras seis vezes, o Benfica venceu a prova, sendo que só por duas vezes se ficou pelas cinco vitórias, em 1960/61, época do primeiro de dois títulos europeus seguidos, e em 1963/64.

O recorde, que também é o do campeonato, e, provavelmente, sê-lo-á para sempre, aconteceu em 1972/73, com os comandados de Jimmy Hagan a vencerem os primeiros 23 jogos. E à 23.ª jornada, a sete do fim, o título foi assegurado.

Na parte final, o Benfica empatou 2-2 no reduto do FC Porto, na ronda 24, culpa de um golo de Flávio aos 86 minutos, e 0-0 na Tapadinha, com o Atlético, na 29.ª, para fechar com 28 vitórias e duas igualdades, o melhor registo da história da I Liga.

A segunda melhor marca de sempre é precisamente a de 1982/83, época em que o Benfica venceu os primeiros 11 encontros, somando ainda sete em 1942/43 e 1980/81 e seis em 1936/37 e 1951/52.

Depois de cinco húngaros, dois ingleses e um sueco, Jorge Jesus, o mais titulado dos treinadores da história do Benfica (10 troféus), tornou-se o primeiro técnico português a arrancar com cinco triunfos no Benfica.

Os 'encarnados' não alcançavam um registo assim desde 1982/83, mas outros conseguiram-no, o FC Porto sete vezes (1983/84, 1990/91, 1994/95, 1997/98, 2007/08, 2010/11 e 2017/18), o Sporting cinco (1984/85, 1985/86, 1990/91, 1993/94 e 2017/18), a derradeira com Jesus, e o Sporting de Braga uma (2009/10).

Das 12 séries de cinco vitórias, oito foram alargadas, quatro até seis triunfos, duas até sete, uma até oito, do FC Porto, em 2007/08, e uma até 11, obra do Sporting, comandado pelo brasileiro Marinho Peres, em 1990/91.

Os 'leões' só foram travados à 12.ª ronda, em Chaves, onde empataram 2-2, depois de terem estado a vencer por 2-0. Acabaram por perder a invencibilidade na 14.ª, nas Antas (0-2), e fecharam o campeonato em terceiro, a 13 pontos do campeão Benfica.

O próximo objetivo do Benfica é a sexta vitória em seis jogos, que passa por um triunfo no reduto do Boavista, em embate da sétima jornada da I Liga 2020/21 marcado para 02 de novembro, a próxima segunda-feira, pelas 21:00, no Estádio do Bessa, no Porto.

Ver comentários