Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Chama do Dragão dá 29.º título de Campeão Nacional

Segunda volta pujante permite ultrapassar o Benfica e selar a conquista da Liga.
João Moniz 16 de Julho de 2020 às 01:30
Roda no final dos jogos é a expressão da união entre jogadores e equipa técnica
Com o fim do clássico chegou a hora de extravasar a felicidade pelo 29.º título de campeão
Além do habitual cortejo dos carros a buzinar, os festejos foram feitos com tochas
Os Super Dragões fizeram ontem questão de mostrar o seu apoio aos jogadores  e espalharam tarjas por várias zonas da cidade  por onde ia passar o autocarro da equipa antes do clássico frente ao Sporting
Os Super Dragões fizeram ontem questão de mostrar o seu apoio aos jogadores  e espalharam tarjas por várias zonas da cidade  por onde ia passar o autocarro da equipa antes do clássico frente ao Sporting
Sérgio Conceição atirado ao ar pelos pupilos na sua primeira conquista
Roda no final dos jogos é a expressão da união entre jogadores e equipa técnica
Com o fim do clássico chegou a hora de extravasar a felicidade pelo 29.º título de campeão
Além do habitual cortejo dos carros a buzinar, os festejos foram feitos com tochas
Os Super Dragões fizeram ontem questão de mostrar o seu apoio aos jogadores  e espalharam tarjas por várias zonas da cidade  por onde ia passar o autocarro da equipa antes do clássico frente ao Sporting
Os Super Dragões fizeram ontem questão de mostrar o seu apoio aos jogadores  e espalharam tarjas por várias zonas da cidade  por onde ia passar o autocarro da equipa antes do clássico frente ao Sporting
Sérgio Conceição atirado ao ar pelos pupilos na sua primeira conquista
Roda no final dos jogos é a expressão da união entre jogadores e equipa técnica
Com o fim do clássico chegou a hora de extravasar a felicidade pelo 29.º título de campeão
Além do habitual cortejo dos carros a buzinar, os festejos foram feitos com tochas
Os Super Dragões fizeram ontem questão de mostrar o seu apoio aos jogadores  e espalharam tarjas por várias zonas da cidade  por onde ia passar o autocarro da equipa antes do clássico frente ao Sporting
Os Super Dragões fizeram ontem questão de mostrar o seu apoio aos jogadores  e espalharam tarjas por várias zonas da cidade  por onde ia passar o autocarro da equipa antes do clássico frente ao Sporting
Sérgio Conceição atirado ao ar pelos pupilos na sua primeira conquista
O FC Porto confirmou ontem o 29º título de campeão nacional da sua história. A chama do dragão elevou-se mais alto numa época que foi do inferno ao céu.

A 17 de janeiro, os adeptos portistas deixavam o seu estádio cabisbaixos: acabavam de assistir a uma derrota (1-2) aos pés do Sp. Braga, que colocava a equipa da casa a 7 pontos do líder Benfica no fim da 1ª volta. Oito dias depois, a depressão azul-e-branca acentuava-se, com novo desaire (0-1) frente aos arsenalistas, desta vez na final da Taça da Liga.

"Este ano, sem união dentro do clube fica difícil. Neste momento, o meu lugar está à disposição". O murro na mesa de Sérgio Conceição, no final dessa partida, funcionou como um toque a reunir das tropas. Ainda nessa noite, Pinto da Costa garantiu ao técnico que a estrutura estava do seu lado. Os Super Dragões, que até então tinham criticado publicamente o treinador, remeteram-se ao silêncio. No balneário foi feito um pacto: os jogadores comprometeram-se a dar tudo na luta pelo título.

A tal chama portista, que parecia definitivamente apagada face a um Benfica hegemónico (18 vitórias para a Liga nas primeiras 19 jornadas), reacendeu-se no Dragão, a 8 de fevereiro. Na receção às águias, como já se vira na Luz (vitória dos dragões por 2-0), a equipa de Sérgio Conceição teve sempre o jogo controlado e triunfou por 3-2, relançando a luta pelo título que viria a vencer de forma clara nos meses que se seguiram.
Desde a 20ª jornada, em 13 jogos, o FC Porto somou 10 vitórias, 2 empates e 1 derrota. São 32 pontos em 39 possíveis. Boa parte deles obtidos com exibições fracas (cinco triunfos pela margem mínima), sobretudo desde a retoma após a paragem provocada pela Covid-19.

Só que a baixa nota artística foi compensada pela elevada capacidade de entrega que é a imagem de marca de Sérgio Conceição. E quando o coletivo não funcionou, foi o talento individual de estrelas como Alex Telles ou Corona que levou a equipa ao sucesso.

Sérgio integra lista de técnicos com duas Ligas
Com a conquista da Liga desta época, a que soma o troféu de 2017/18, Sérgio Conceição é o oitavo treinador do FC Porto a vencer o campeonato nacional por duas vezes. Este ranking é encabeçado por Jesualdo Ferreira e Artur Jorge, com três títulos. Sete técnicos venceram uma única vez.

Pinto da Costa tem 61 troféus
Das 29 taças de campeão nacional do FC Porto, 22 foram conquistadas desde que Pinto da Costa (82 anos) assumiu a presidência do clube em abril de 1982. Ao longo de 38 anos e 15 mandatos - o atual iniciou-se em junho e só termina em 2024 - o timoneiro portista soma 61 troféus, 54 em provas domésticas e sete em competições internacionais. As últimas duas Ligas foram ganhas com o clube envolto numa situação financeira débil.
Ver comentários