Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Declarações após o Vizela-Sporting

O Sporting venceu o Vizela por 3-2, em jogo a contar para os oitavos de final da Taça de Portugal.
17 de Dezembro de 2014 às 23:42
Treinador do Sporting dá indicações aos seus jogadores durante o jogo
Treinador do Sporting dá indicações aos seus jogadores durante o jogo FOTO: SE Record 

Emanuel Simões (treinador do Vizela): "Aquilo que fizemos durante o jogo só tem de nos deixar satisfeitos. Não nos podemos esquecer que somos uma equipa amadora. Foi um jogo muito bem conseguido da nossa parte. (sobre se acreditava que podia fazer uma "surpresa" e vencer) Sim. Ao intervalo [quando o marcador apontava 2-2] disse aos meus jogadores: 'esqueçam que estamos a jogar contra o Sporting' e dei-lhes a mensagem de que podíamos conseguir. Claramente acreditei até aos 3-2 e depois fui vendo o cansaço dos meus jogadores. (sobre o lance da grande penalidade que dá o 1-0 ao Sporting aos 34 minutos) Ainda não vi imagens. No campo a sensação que eu fico é que é no ombro. São lances complicados. Eu não gosto de falar de arbitragem. São lances difíceis e qualquer pessoa erra. (como é que o Vizela sai da Taça de Portugal?) De cabeça levantada. Eu disse que o Sporting teria de trabalhar muito. Nós trabalhámos e demos o nosso máximo. Mostrámos que há qualidade, temos princípios de jogo. O Vizela manteve a estrutura que tem jogado de domingo a domingo. Hoje, em relação ao jogo passado, alterámos um central que estava castigado. Pode ser um risco muito grande, mas achámos que não devíamos mudar só por ser o Sporting. Temos de dar mérito ao que o Vizela fez e menos demérito ao que o Sporting não fez".


Marco Silva (treinador do Sporting): "O resultado é sempre o mais importante. Sabíamos que a nossa obrigação era a passagem aos quartos de final. (sobre o facto de sofrer muitos golos de bola parada) A solução é trabalhar cada vez mais e termos cada vez mais concentração. É verdade que talvez 60/70% dos golos que temos sofrido tem sido dessa forma. Os golos de bola parada preocupam-nos e temos de trabalhar. A nossa entrada no jogo também não foi boa e sabemos que estes jogos da Taça são os da época para as equipas de escalões inferiores. O principal objetivo para nós era passar e passámos. Teríamos de ter uma qualidade de jogo um pouco diferente e não conseguimos. Não escondo que se notou alguma intranquilidade. Fizemos três/quatro alterações no `onze´, com jogadores que queriam mostrar o que valem ao treinador e agora cá estou eu para avaliar. Não vou falar do mercado. Estamos aqui para falar do jogo. Hoje não é o momento para estarmos a dizer se vamos ou não ao mercado. Ficámos contentes por termos passado. Esse era nosso objetivo. Estávamos obrigados a passar e cumprimos. Preferia ter conseguido com mais qualidade, mas os jogos de Taça às vezes são assim. Faltou um pouco de velocidade no nosso jogo. O nosso objetivo para já é começar a pensar no Nacional e preparar o próximo jogo. Para já, não pensamos no próximo adversário na Taça. Nós, como Sporting, temos de querer ganhar todos os jogos e não há um objetivo maior em cada uma das competições, sendo que sabemos que temos de ganhar jogos para ir subindo na tabela".

Paulo Oliveira (jogador do Sporting): "Não foi a exibição que queríamos, faltou-nos consistência, mas conseguimos o objetivo mínimo que era passar. De qualquer forma, temos de dar os parabéns ao Vizela, porque jogou aqui olhos nos olhos e encheu de orgulho os seus adeptos. (sobre o próximo jogo, para a Liga): São competições diferentes. Encaramos sempre os jogos com o máximo de seriedade, mas queremos fazer um jogo mais conseguido. (sobre o facto de o Sporting ter jogado sempre fora na Taça de Portugal): Onde quer que vamos jogar, sentimo-nos em casa, mas o facto de jogarmos no nosso estádio poderá dar dar outro sabor a esta competição.

Marco Silva treinador Emanuel Simões Vizela Sporting declarações
Ver comentários