Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Arguido levado para a esquadra por desobediência durante julgamento do ataque à Academia

Jogadores do Sporting começam a ser ouvidos em Tribunal na próxima segunda-feira.
Sofia Garcia 26 de Novembro de 2019 às 09:29
A carregar o vídeo ...
Dois militares da GNR e dois agentes da PSP ouvidos sobre ataque a Alcochete
Decorreu esta terça-feira a quinta sessão do julgamento do ataque à Academia de Alcochete, no Tribunal de Monsanto. Foram inquiridas mais testemunhas, nomeadamente dois militares da GNR (Departamento de Investigação de Almada) e dois agentes da PSP de Lisboa.  

Esta terça-feira, e já fora do Tribunal, um dos arguidos foi detido e levado para a esquadra por elementos da PSP para ser identificado e prestar declarações após um episódio de desobediência a um agente, ocorrido ainda no interior do tribunal.

O arguido em causa é Domingos Monteiro, que fora já apanhado com haxixe à entrada da sessão da quinta feira passada.

Foi também ouvido na tarde desta terça-feira o superintendente da PSP, que acabou por dizer que os chamados spotters (elementos da PSP que acompanham as claques), que conhecem bem os membros, foram também responsáveis pela identificação dos indivíduos sentados no banco dos réus.

A equipa da PSP de Lisboa teve acesso a videogramas que visionou, comparando esses arguidos com os indivíduos que costuma acompanhar nas claques. 

Nesta segunda-feira, dia da quarta sessão, foram ouvidos quatro militares da GNR do Departamento Criminal do Montijo, que liderou a investigação. Também esta segunda-feira, o antigo cabecilha da Juve Leo, Fernando Mendes, marcou presença no tribunal.

Recorde-se que Bruno de Carvalho, ex-presidente do Sporting, pediu dispensa das audiências do julgamento, alegando não ter meio de transporte e ter uma ocupação profissional como comentador desportivo.

O julgamento do ataque, que aconteceu a 15 de maio do ano passado, teve início na passada segunda-feira, com os 44 arguidos do processo a remeterem-se ao silêncio, à exceção de Bruno Jacinto, que revelou ter avisado André Geraldes, ex-diretor-geral dos leões, do ataque iminente à Academia de Alcochete.

Acompanhe ao minuto

15h30 -
Quinta sessão do julgamento terminou terminou.

14h53 -
Miguel Matias, advogado do arguido Afonso Ferreira, requereu ao coletivo de juízes que fosse entregue pelo Instituto Português de Juventude e Desporto uma lista com todos os nomes dos elementos da claque Juventude Leonina, à data dos factos.

Surprendentemente, Luís Moreira, da PSP de Lisboa, disse que a PSP não tem a listagem das pessoas que integram a Juve Leo.

14h45 -
Momentos depois de ter recomeçado a sessão, ficou a saber-se que os jogadores do Sporting podem não conseguir comparecer em tribunal na próxima semana.

Tal pode acontecer porque o clube tem jogos em Barcelos, no domingo e na quarta-feira.

11h15 -
Termina a primeira parte da sessão. Será retomada às 14h30.

10h40 - Ficou a saber-se quem serão as testemunhas notificadas para as próximas sessões. Entre elas estão vários jogadores do Sporting:
Segunda-feira (dia 2 de dezembro) de manhã será ouvido Ricardo Gonçalves, coordenador da segurança da Academia à data dos factos. À tarde Wendel e Manuel Fernandes.

Terça-feira (dia 3 de dezembro) de manhã vai ser ouvido José Laranjeiro (antigo elemento da equipa de scouting do Sporting, que está agora no Rio Ave). À tarde Acuña e Battaglia.

Quarta-feira (dia 4 de dezembro) de manhã é a vez de Maximiano e Coates e à tarde Ristovski e Bruno Fernandes.

Segunda-feira (dia 9 de dezembro) são ouvidos Raul José e Miguel Quaresma, antigos membros da equipa técnica de Jorge Jesus, que ainda estão no Sporting.

10h15 - Começa a sessão no tribunal de Monsanto. Primeiro militar da GNR já está a ser ouvido.
GNR PSP Alcochete Academia de Alcochete Tribunal de Monsanto crime lei e justiça tribunal julgamentos
Ver comentários