Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Dragão acelera mas acaba ao empurrão

FC Porto falhou quantidade absurda de oportunidades. Só Taremi marcou.
Sérgio Pereira Cardoso 26 de Janeiro de 2021 às 01:30
Pepe salta nas costas de Bura e ganha o lance de cabeça perante o aparente olhar de impotência de Stojiljkovic
'Dois jogadores com opinião diferente': Conceição explica desentendimento entre Pepe e Loum
Pepe salta nas costas de Bura e ganha o lance de cabeça perante o aparente olhar de impotência de Stojiljkovic
'Dois jogadores com opinião diferente': Conceição explica desentendimento entre Pepe e Loum
Pepe salta nas costas de Bura e ganha o lance de cabeça perante o aparente olhar de impotência de Stojiljkovic
'Dois jogadores com opinião diferente': Conceição explica desentendimento entre Pepe e Loum
Depois do escorregão do Benfica, o FC Porto acelerou e escapou no segundo lugar. Só que o desperdício na hora de atirar à baliza deixou o jogo aberto até final. O Farense ainda atirou duas bolas aos ferros e os nervos nos dragões não terminaram com o apito do árbitro - Pepe e Loum pegaram-se ao empurrão.

Primeiro, o jogo. Entre recuperados Covid e demais regressos, Conceição montou um onze próximo do máximo e isso, claro, nota-se. Otávio é um motor infatigável e dá espaço para Corona deambular a sua magia, como logo nos primeiros minutos, numa receção magistral seguida de um passe que Marega não aproveitou.

E era pelo lado do mexicano que o FC Porto mais perigo criava. Aos 15’, foi o parceiro de ala Manafá a deixar os algarvios para trás e a cruzar para Taremi fazer, de primeira, o 10º golo da temporada, sétimo na Liga. Entre queixas de alegado penálti, o Farense pouco incomodava. Pelo contrário, tinha dificuldade a segurar a onda portista.

Foi Defendi a fazer jus ao nome e a evitar o segundo golo a Corona (26’) e a Otávio (33’). Já aos 42’, Taremi quis ser o melhor amigo de Tecatito - em vez de rematar, passou ao lado, só que Gauld adivinhou a intenção. Intervalo com o jogo por resolver.

Segunda parte, mesma história. Uribe viu Bura evitar-lhe o golo aos (50’), Corona teve jogada maradoniana que também acabou sem final feliz. Otávio não fez melhor, com mérito para Defendi, que ainda fez mais um par de defesas incríveis.

Ora quem não marca... quase sofre. No mesmo lance, duas bolas aos ferros da baliza de Marchesín. Os nervos mantiveram-se até final e Loum e Pepe pegaram-se de forma inaceitável após o apito. Boas e más notícias para o Dragão.

Pepe e Loum pegam-se após o jogo
Pepe e Loum pegaram-se no fim do jogo. O capitão disse alguma coisa ao colega de equipa enquanto o cumprimentava mas este reagiu mal e empurrou o central. Pepe respondeu segurando o médio pela camisola e empurrando-o ostensivamente. O defesa foi afastado pelo árbitro Manuel Mota, que se colocou no meio da discussão, e depois acalmado por Marchesín e Diogo Leite, enquanto Marega afastava Loum. "Foi um desentendimento", disse apenas Sérgio Conceição.

Esta equipa funciona a... Corona
o Marchesín – Atento. Grande defesa a negar um golo a Stojiljkovic. Um pouco às aranhas nas duas bolas que bateram nos ferros.
o Manafá – Grande arrancada que lhe permitiu fazer a assistência para o golo de Taremi. Está confiante.
o Pepe – Um poço de força e determinação. Uma muralha à frente da baliza.
o Mbemba – Eficaz, mas às vezes precipitado. Perdeu discernimento com o tempo.
o Zaidu – Melhor a atacar do que a defender. Bom cabeceamento, que saiu ao lado.
o Corona - É o agitador do FC Porto. Mexe com o jogo e obriga os outros a correrem. Desperdiçou um golo certo com um remate fraco, apesar de estar isolado.
o Grujic – Dá músculo ao meio-campo e é importante na pressão sobre a zona de construção do adversário.
o Uribe – Grande corte a evitar um golo, após uma perda de bola de Manafá. Teve ainda um remate perigoso.
o Otávio – Recuperou da Covid-19 e voltou com a mesma determinação e empenho. Uma bomba de fora da área para defesa de Defendi.
o Taremi – Inaugurou o marcador, após uma grande assistência de Manafá. Um falhanço incrível.
o Marega – Um remate enrolado e um outro à figura do guarda-redes.
o Felipe Anderson – Grande corte para canto, após a bola bater por duas vezes nos ferros.
o Carraça – Estreia na Liga.
o Diogo Leite – Refrescou.
o Loum – Andou aos empurrões a Pepe no final do jogo.
o João Mário – Sem tempo.

ANÁLISE
+ Ai Jesús, Corona!
A jogada aos 57 minutos é digna da memória de Diego Armando Maradona e resume a arte que Jesús Corona espalhou no terreno. Muito pela ajuda de Otávio - é ‘baixinho’ de alcunha, mas grande no empenho. A Covid não lhe deixou qualquer marca.

- O desperdício e o final
Desperdício é quase um eufemismo. O FC Porto podia ter construído uma goleada. E se houve mérito de Defendi, também houve demérito dos dragões. Os nervos criados até deram para dois colegas se pegarem em cenas nada bonitas no relvado.

Lances difíceis nas áreas
Análise complicada à bola no braço de Corona, que está afastado do corpo. Parece lance para penálti, tal como a abordagem de Scheid com o pé na cabeça de Marega (60’). Manuel Mota deveria também ter exibido cartões na discussão de Pepe e Loum.
Ver comentários