Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

Dragões a caminho das ‘meias’ da Taça de Portugal

FC Porto apurou-se graças à vitória frente ao Vizela por 3-1.
Mário Figueiredo, João Moniz e Luís Oliveira 13 de Janeiro de 2022 às 01:30
Uribe, autor do primeiro golo do FC Porto, em lance do jogo de ontem
Corona foi ontem titular, mas Sérgio Conceição retirou-o antes do final
Sérgio Oliveira com Tiago Pinto, diretor-desportivo da Roma
Uribe, autor do primeiro golo do FC Porto, em lance do jogo de ontem
Corona foi ontem titular, mas Sérgio Conceição retirou-o antes do final
Sérgio Oliveira com Tiago Pinto, diretor-desportivo da Roma
Uribe, autor do primeiro golo do FC Porto, em lance do jogo de ontem
Corona foi ontem titular, mas Sérgio Conceição retirou-o antes do final
Sérgio Oliveira com Tiago Pinto, diretor-desportivo da Roma
O FC Porto agendou esta quinta-feira duelo com o Sporting nas meias-finais da Taça de Portugal, depois de ter eliminado um brioso Vizela, por 3-1, numa partida emotiva.

Sérgio Conceição mostrou respeito para com o adversário quando fez apenas uma alteração no onze (trocou Diogo Costa por Marchesín na baliza), mantendo os pesos-pesados do plantel, com destaque para os agitadores Otávio e Luis Díaz.
Já o Vizela, a contas com um surto de Covid-19, registou seis alterações face ao último onze, mas mesmo assim manteve a competitividade.

A formação de Álvaro Pacheco até entrou bem no jogo, mas foi o FC Porto que se colocou em vantagem com um golo de Uribe (8’), após uma defesa com os punhos do guarda-redes.

Enganou-se quem pensou que os dragões estavam lançados para um triunfo fácil. Os vizelenses nunca deixaram lutar pela sobrevivência da Taça. Espernearam e acabaram mesmo por empatar o jogo com um golo de Cassiano, numa boa jogada de envolvência do ataque que culminou com um chapéu sobre o guarda-redes.
O FC Porto ainda viu uma bola na trave, num cabeceamento de Fábio Cardoso.

Na etapa complementar, os dragões entraram mais agressivos e dispostos a evitarem um desaire. Evanilson deu o mote com um remate ao poste. Seguiu-se Fábio Vieira, que substituiu Corona, com uma emenda ao lado apesar de estar em boa posição. Adivinhava-se o golo portista, mas foram os vizelenses a criar perigo com Marchesín a realizar uma defesa vistosa a remate de Evrard Zag.

Falharam os anfitriões, aproveitaram os forasteiros, com Fábio Vieira a entrar na área e a ver o seu cruzamento travado pela mão de Evrard Zag. Chamado a converter a grande penalidade, o jovem portista não perdoou e deu vantagem à sua equipa. No entanto, o resultado final só foi estabelecido a dois minutos do fim, com Evanilson (fez o sexto golo na Taça de Portugal) a cabecear com êxito após canto de Bruno Costa.

Positivo
Vizela cai a... espernear
O Vizela cai da Taça, mas fê-lo a espernear. Apesar das várias ausências devido ao surto de Covid-19, a equipa mostrou-se com garra e determinada. Sérgio Conceição não facilitou e ganhou a aposta, pois se rodasse jogadores, podia ter tido um dissabor.

Negativo
Corona já não está cá
Corona já não tem a cabeça no FC Porto. Teve uma exibição fraca, com medo de meter o pé, a pensar na transferência. Acabou substituído por Fábio Vieira que se revelou decisivo no triunfo portista. Corona sai do FC Porto pela porta pequena.

Arbitragem
Vermelho desorientou
João Pinheiro teve uma arbitragem positiva, apesar de alguns casos. Ajuizou sempre bem, inclusivamente na grande penalidade a favor do FC Porto (mão clara de Zag). Alguma desorientação num vermelho a Wendell que depois retirou.

Faltou o Díaz mas valeu o Vieira
Marchesín – Evitou o 2-2 aos 79’ com fenomenal defesa a remate de Julião. Seguro.
Corona – Ficou apeado e a olhar Cassiano no 1-1. Jogo fraco de quem já foi o melhor atleta da equipa, em tempos.
Mbemba – O pronto-socorro limpou o que tinha que limpar. É o chefe sem Pepe.
Fábio Cardoso – Passivo no lance do 1-1, cortes oportunos e um deles com o braço.
Wendell – Tarda em assumir-se como o defesa-esquerdo da equipa. Faltoso.
Uribe – Bom jogo do médio. Inaugurou o marcador e fartou-se de ganhar bolas.
Vitinha – Jogo regular, esforçado mas sem a qualidade a que já nos habituou.
Otávio – O capitão da equipa foi dos mais esclarecidos a jogar e a motivar os colegas.
Luis Díaz – Não foi aquele jogador determinante da época, mas não jogou mal.
Evanilson – Trabalhador, excelente cabeceamento aos 68’ e fechou o marcador.
Taremi– Impressionante a quantidade de vezes que cai na relva para sacar faltas. Outro jogo pouco conseguido.
Pepê – Entrou para fazer todo o corredor direito.
Bruno Costa – Marcou o canto tenso que deu o 3-1.
Grujic – Sem tempo
Francisco Conceição – Mais uns minutos de jogo.
Fábio Vieira - Espevitou o jogo do FC Porto na segunda parte com o a sua visão de jogo e o pé esquerdo. Provocou a grande penalidade que depois concretizou e liderou algumas boas jogadas.

Corona vai já para sevilha
Jesús Corona está com um pé e meio fora do FC Porto. À hora de fecho desta edição, a venda para o Sevilha neste mercado estava praticamente fechada, apurou o CM. Faltava apenas acertar alguns pormenores relativos ao montante final do negócio e à distribuição pelas partes interessadas.
Em cima da mesa estava uma transação avaliada entre 4,5 milhões e 5 milhões de euros. Como o FC Porto tem 66,5% do passe, os dragões iam encaixar cerca de 3 M € com um jogador que daqui a cinco meses e meio ia sair a custo zero. Faltava definir se o futebolista de 29 anos abdicava da sua parte (3,5%) e de como seria compensado o Twente (30%).
Dois fatores foram decisivos para o FC Porto abrir mão de Corona: as dificuldades financeiras; e a insatisfação de Sérgio Conceição com o jogador. O técnico praticamente já não contava com o mexicano para extremo, mas face à falta de laterais deu-lhe uma nova oportunidade. Só que Conceição não gostou da exibição de Corona na direita da defesa frente ao Estoril - saiu aos 69 minutos - e disse à administração da SAD que podia vender o jogador este mês.
Corona ainda foi titular esta quinta-feira, mas terá feito o último jogo pelo FC Porto.

Oliveira confirmado
A Roma confirmou esta quinta-feira a contratação de Sérgio Oliveira até junho. O FC Porto encaixa 1,5 M € com o empréstimo e no máximo mais 18,5 M € se os italianos adquirirem o passe. "Obrigado, FC Porto", disse o médio nas redes sociais.

FC Porto Vizela desporto futebol taça nacional
Ver comentários